LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Legenda Maior - VI,7

    7 
    1 Alio quoque tempore, cum in deserta quadam oraret ecclesia in provincia Massae apud Montem Casalem, intellexit per spiritum, sacras ibidem remansisse reliquias. 
    2 Quas cum longo iam tempore defraudatas honorificentia debita non sine moerore conspiceret, praecepit fratribus, ut eas cum reverentia deferrent ad locum. 
    3 Sed cum, poscente causa, discessisset ab eis, mandati patris immemores, filii obedientiae meritum neglexerunt. 
    4 Die vero quadam, cum sacra celebrare vellent mysteria, superiore altaris operimento submoto, ossa pulcherrima et redolentia nimis non sine admiratione reperiunt, intuentes reliquias, quas non hominis manus sed Dei virtus attulerat. 
    5 Reversus paulo post, vir Deo devotus diligenter coepit exquirere, si quod de reliquiis mandaverat, esset impletum. 
    6 Verum neglectae obedientiae culpam fratres confitentes humiliter, cum poena veniam meruerunt. 
    7 Et ait vir sanctus: ”Benedictus Dominus Deus meus (cfr. Ps 17,47), qui per seipsum implevit quod vos facere debuistis!” 
    8 Considera diligenter divinae providentiae curam circa pulverem nostrum, et humilis Francisci excellentem in oculis Dei perpende virtutem! 
    9 Nam cuius iussis non paruit homo, votis obedivit Deus.

    TEXTO TRADUZIDO

    Legenda Maior - VI,7

    7 
    1 Em outra ocasião, quando estava rezando numa igreja deserta em Monte Casale, na província de Massa, soube pelo espírito que ali havia umas sagradas relíquias. 
    2 Vendo, não sem dor, que elas tinham ficado privadas da devida honra, mandou aos frades que as levassem com reverência para o seu lugar. 
    Entretanto, como se ausentou deles por causa urgente, os filhos se esqueceram do que o pai tinha mandado e negligenciaram o mérito da obediência. 
    4 Mas um dia, querendo celebrar os sagrados mistérios, quando tiraram a coberta de cima do altar, encontraram, admirados, ossos muito bonitos e bem perfumados, vendo as relíquias que tinham sido trazidas não pela mão humana mas pela virtude de Deus. 
    5 Voltando pouco depois, o varão devoto de Deus começou a perguntar diligentemente se tinham feito o que mandara a respeito das relíquias. 
    6 Confessando humildemente a culpa de terem negligenciado a obediência, os frades receberam o perdão, com a pena. 
    7 E disse o santo varão: “Bendito seja o Senhor meu Deus, que cumpriu por si mesmo o que deveríeis ter feito!”. 
    8 Considera diligentemente o cuidado da divina providência sobre o nosso pó, e calcula a excelente virtude do humilde Francisco aos olhos de Deus! 
    9 Pois quando o homem não obedeceu à sua ordem, Deus obedeceu ao seu desejo.