LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Anônimo Perusino

TEXTO ORIGINAL

Anonimo Perusino - 41

41

1 Et quando apud eos habere hospitium non valebant, interrogabant quis in terra illa esset homo spiritualis et timens Deum, apud quem possent honestius hospitari. 2 Et parvo post tempore inspiravit Dominus unum timentem se per civitates singulas et castella ubi erant venturi (cfr.  Luc 10,1) qui eis hospitia praepararet, donec ipsi postmodum aedificaverunt loca sua in urbibus et in castris.

3 Dedit eis Dominus verbum et spiritum secundum opportunitatem temporis, ad proferenda verba acutissima penetrantia multorum corda audientium, et maxime invenum plus quem senum. 4 Qui relinquentes patrem et matrem (cfr.  Mat 19,29) et omnia sua, sequebantur eos sanctae Religionis habitum assumentes. 5 Et tunc temporis maxime in ista Religione adimpletum est verbum Domini in Evangelio sic dicentis: 6 Non veni mittere pacem in terram sed gladium; 7 veni enim separare hominem adversus patrem suum et filiam adversus matrem suam (Mat 10,34-35). 8Illos autem quos fratres recipiebant, ad beatum Franciscum adducebant ut induerentur ab eo.

9 Similiter et multae mulieres virgines et non habentes viros, audientes predicationem eorum, veniebant corde compuncto ad eos 10 dicentes: - ”Quid faciemus (cfr.  Act 2,37) et nos? Vobiscum esse non possumus. 11 Dicite ergo nobis quomodo salvare nostras animas valeamus”.12 Ad hoc ordinaverunt per singulas civitates quibus potuerunt monasteria reclusa ad paenitentiam faciendam. 13 Constituerunt etiam unum de fratribus qui esset visitator et correptor earum.

14 Similiter et viri uxores habentes dicebant: ‑ “Uxores habemus, quae dimitti se non patiuntur. 15Docete ergo nos quem viam tenere salubriter valeamus”. 16 At illi ordinaverunt ex ipsis ordinem, qui Paenitentium Ordo vocatur, facientes hunc a Summo Pontifice confirmari.

TEXTO TRADUZIDO

Anônimo Perusino - 41

41

1 E quando não podiam hospedar-se com eles, perguntavam quem naquela terra era homem espiritual e temente a Deus, em cuja casa pudessem hospedar-se honestamente. 2 Pouco tempo depois, o Senhor inspirou um que o temia em cada cidade ou castelo onde deveriam ir, que lhes preparava hospedagens, até que eles mais tarde edificaram seus lugares nas cidades e aldeias.

3 O Senhor lhes deu palavra e espírito conforme a oportunidade do tempo, para proferir palavras agudíssimas que penetravam muitos dos corações dos ouvintes, e mais dos jovens que dos velhos. 4 Eles deixavam pai e mãe e todas as suas coisas, e os seguiam, tomando o hábito da santa religião. 5 E nesse tempo cumpriu-se da melhor maneira neste Religião a palavra do Senhor, que disse no Evangelho:6 Não vim trazer a paz à terra, mas a espada; 7 pois vim separar o homem de seu pai, a filha de sua mãe” (Mt 10,34-35). 8 Mas os frades levavam os que recebiam ao bem-aventurado Francisco, para serem revestidos por ele.

9 Do mesmo modo, muitas moças e sem marido, ouvindo a pregação dos frades, vinham a eles de coração compungido, 10 dizendo: “E nós, o que podemos fazer? Não podemos ficar convosco. 11 Dizei-nos então como devemos fazer para salvar nossa alma”. 12 Para tal fim mandaram fazer em cada cidade mosteiros reclusos para fazer penitência. 13 Também constituíram um dos frades para ser seu visitador e corretor.

14 Da mesma forma diziam homens que tinham esposas: “Nós temos a esposas, que não querem ser dispensadas. 15 Portanto, ensinai-nos que caminho podemos fazer saudavelmente”. 16 Mas eles constituíram com esses uma Ordem que é chamada dos Penitentes, fazendo com que fosse confirmada pelo Sumo Pontífice.