LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Prima Vita (1Cel) - 48

    48. 
    1 Et quidem manifestis indiciis saepius hoc probarant et experti fuerant occulta cordis (cfr. 1Cor 14,25) eorum patrem sanctissimum non latere. 
    2 O quoties, nullo docente homine, sed Spiritu Sancto revelante, absentium fratrum acta cognovit, occulta cordium (cfr. 1Cor 14,25) aperuit et conscientias exploravit! O quantos in somnis admonuit, quibus et agenda praecepit et non agenda prohibuit! O quantorum futura mala praedixit, quorum praesentia bona in facie videbatur! 
    3 Sic et iniquitatum finem plurimorum praesciens, futuram in ipsis gratiam salutis nuntiavit. 
    4 Immo si quis puritatis et simplicitatis spiritu meruit illustrari, visionis eius, modo caeteris inexperto, consolatione potius est singulari. 
    5 Referam unum inter alia quod, fidelibus testibus referentibus, agnovi. 
    6 Cum tempore quodam frater Ioannes de Florentia esset a sancto Francisco minister fratrum in Provincia constitutus et capitulum fratrum in eadem provincia celebrasset, Dominus Deus solita pietate ostium ei sermonis (cfr. Col 4,3) aperuit, et fratres omnes ad audiendum reddidit benevolos et attentos. 
    7 Erat inter eos frater unus sacerdos, fama clarus sed clarior vita, Monaldus nomine, cuius virtus in humilitate fundata, oratione frequenti adiuta, scuto patientiae servabatur. 
    8 Intererat etiam illi capitulo frater Antonius, cuius Dominus aperuit sensum, ut intelligeret Scripturas (cfr. Luc 24,45), et super mel et favum (cfr. Ps 18,11) de Iesu verba dulcia eructaret (cfr. Ps 44,2) in populo universo. 
    9 Qui cum fratribus ferventissime ac devotissime praedicaret, hoc scilicet verbum: “Iesus Nazarenus Rex Iudaeorum (cfr. Ioa 19,19)”, dictus frater Monaldus respexit ad ostium domus in qua erant fratres pariter congregati (cfr. Ios 9,2), et vidit ibi corporeis oculis beatum Franciscum in aëre sublevatum, extensis velut in cruce manibus, benedicentem fratres. 
    10 Repleti quoque videbantur omnes consolatione Spiritus Sancti (cfr. Act 9,31), et de concepto salutis gaudio satis credibile fuit eis quod de visione ac praesentia patris gloriosissimi audierunt.

    TEXTO TRADUZIDO

    Primeira Vida (1Cel) - 48

    48. 
    1 Muitas outras vezes tinham comprovado, por sinais manifestos, que os segredos de seus corações não eram desconhecidos por seu santo pai. 
    2 Quantas vezes, sem que ninguém dissesse, mas por revelação do Espírito Santo, soube o que estavam fazendo frades ausentes, manifestou segredos de seus corações e penetrou as consciências! A quantos aconselhou em sonhos, dizendo o que deviam fazer ou deixar de fazer! A quantos, que estavam manifestamente bem no presente, previu males no futuro! 
    3 Da mesma maneira, previu para muitos o fim de seus pecados e lhes anunciou a graça da salvação. 
    4 Houve até um que, distinguido por especial espírito de pureza e simplicidade, pô-de ter a consolação de contemplá-lo de maneira especial, não dada aos outros.
    5 Vou contar um caso entre os muitos que soube por testemunhas de confiança. 
    6 No tempo em que Frei João de Florença foi feito por São Francisco ministro dos frades da Provença e estava celebrando o capítulo dos frades daquela Província, o Senhor Deus lhe abriu a boca para falar com a piedade costumeira e fez todos os frades ouvirem com benévola atenção. 
    7 Havia entre eles um irmão sacerdote, célebre pela fama e mais ainda pela vida. Chamava-se Monaldo e sua virtude, fundamentada na humildade e auxiliada pela oração freqüente, era protegida pelo escudo da paciência. 
    8 Estava participando do capítulo também Frei Antônio, a quem o Senhor abrira a inteligência para compreender as Escrituras, e que falava de Jesus a todo o povo com palavras mais doces que o mel. 
    9 Enquanto Frei Antônio estava pregando com máximo fervor e devoção aos frades sobre as palavras: “Jesus Nazareno, Rei dos Judeus”, o referido Frei Monaldo olhou para a porta da casa em que os frades também estavam reunidos e viu com seus próprios olhos o bem-aventurado Francisco elevado no ar, com as mãos abertas em cruz, abençoando os frades. 
    10 Sentiam-se todos cheios de consolação do Espírito Santo e pela alegria da salvação que conceberam puderam crer o que ouviram sobre a visão e a presença do pai gloriosíssimo.