LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Tomás de Celano
  • Segunda Vida (2Cel)

TEXTO ORIGINAL

Secunda Vita (2Cel) - 16

Caput XI De similitudine quem coram domino Papa proposuit.

16 
1 Tempore quo ad petendam vitae suae regulam se cum suis coram papa Innocentio praesentavit, cum eius supra vires propositum conversationis papa videret, sicut homo discretione maxima praeditus, dixit ad eum: “Ora, fili, ad Christum, ut suam nobis per te voluntatem ostendat, qua cognita, tuis piis desideriis securius annuamus”. 
2 Annuit sanctus summi pastoris mandato, fiducialiter currit ad Christum; orat instanter, et ad supplicandum Deo devote socios exhortatur. 
3 Quid plura? Responsum orando reportat et refert filiis nova salutis. 
4 Familiaris allocutio Christi in parabolis (cfr. Mat 13,3) noscitur: “Francisce”, inquit, “sic dices ad papam: Mulier quaedam paupercula sed formosa in quodam deserto manebat. 
5 Adamavit eam rex quidam ob maximum illius decorem; contraxit cum ea gratanter et filios ex ea venustissimos genuit. 
6 Adultos iam illos et nobiliter educatos mater aloquitur: “Nolite”, inquit, “verecundari, dilecti, eo quod pauperes sitis, nam illius magni regis estis filii omnes. 
7 Ad curiam eius itote gaudentes, et ab ipso vobis necessaria postulate”. 
8 Audientes hoc illi mirantur et gaudent, et regiae stirpis sublevati promisso, futuros se scientes haeredes, omnem inopiam divitias reputant (cfr. Tob 5,25). 
9 Praesentant se regi audacter, nec pavent vultum cuius similem gestant imaginem. 
10 Cognita rex similitudine sua in illis, cuius essent filii mirando exquirit. 
11 Qui cum mulieris illius pauperculae in deserto morantis se filios affirmarent, amplexans eos rex: “Mei”, ait, “estis filii et haeredes (cfr. Rom 8,17); timere nolite (cfr. Mat 14,27; 17,7)! 
12 Nam si de mensa mea nutriuntur extranei, iustius est ut enutriri faciam quibus haereditas tota de iure servatur”. 
13 Mandat proinde rex mulieri, ut omnes ex se genitos ad suam curiam pascendos transmittat”. 
14 Laetus et gaudens sanctus efficitur de parabola, et sacrum oraculum protinus reportat ad papam.

TEXTO TRADUZIDO

Segunda Vida (2Cel) - 16

Capítulo 11 - Da comparação que propôs diante do Papa.

16 
1 Na ocasião em que se apresentou com os seus ao papa Inocêncio, para pedir a aprovação de sua regra de vida, o Papa achou que seu propósito estava acima de suas forças e, como era dotado da maior discrição, disse: “Meu filho, pede a Cristo que nos manifeste sua vontade, para que, conhecendo-a, possamos concordar com maior segurança com os teus piedosos desejos”. 
2 O santo atendeu à ordem do Pastor supremo e correu a Cristo confiantemente. Rezou insistentemente e exortou os irmãos a suplicarem a Deus com devoção.
3 Que mais? Obteve uma resposta na oração e contou aos filhos a salutar novidade. 
4 A conversa familiar com Cristo foi conhecida em parábolas: - “Francisco, dirás isto ao Papa: uma mulher pobrezinha, mas bonita, morava em um deserto. 
5 Um rei se apaixonou por ela por causa de sua grande formosura, desposou-a todo feliz e teve com ela filhos belíssimos. 
6 Quando já estavam adultos e nobremente educados, a mãe lhes disse: “Não vos envergonheis, meus queridos, porque sois pobres, pois sois todos filhos daquele grande rei. 
7 Ide com alegria para sua corte, e pedi-lhe tudo que precisais’. 
8 Surpresos e felizes quando ouviram isso e, orgulhosos por saberem que eram de linhagem real, pois previam que seriam os herdeiros, consideraram riquezas toda sua pobreza. 
9 Apresentaram-se ousadamente ao rei, sem temer o rosto que era parecido com o deles. 
10 Vendo neles essa semelhança, o rei perguntou, admirado, de quem eram filhos. 
11 Quando disseram que eram filhos daquela mulher pobrezinha do deserto, o rei os abraçou dizendo: ‘Sois meus filhos e meus herdeiros, não tenhais medo! 
12 Se até estranhos comem à minha mesa será muito mais justo que eu alimente aqueles a quem está destinada por direito a minha herança toda’. 
13 Por isso o rei mandou que a mulher levasse todos os seus filhos para serem alimentados em sua corte”. 
14 Alegre e contente com a parábola, o santo foi logo contar ao Papa o sagrado oráculo de Deus.