LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Tomás de Celano
  • Segunda Vida (2Cel)

TEXTO ORIGINAL

Secunda Vita (2Cel) - 95

95 
1 Haec domi. In silvis vero et solitudinibus orans, nemora replebat gemitibus, loca spargebat lacrimis, pectora manu tundebat, ibique quasi occultius secretarium nactus, confabulabatur saepe verbis cum Domino suo. 
2 Ibi respondebat iudici, ibi supplicabat patri, ibi colloquebatur amico, ibi colludebat sponso. 
3 Revera, ut cunctas medullas cordis multipliciter holocaustum (cfr. Ps 65,15) efficeret, multiplicem ante oculos summe simplicem proponebat (cfr. Sap 7,22; Ps 100,3). 
4 Immotis saepe labiis ruminabat (cfr. Cant 7,9) interius, et introrsum extrinseca trahens spiritum subtrahebat in superos. 
5 Omnem sic et intuitum et affectum in unam quam petebat a Domino (cfr. Ps 26,4) dirigebat, totus non tam orans quam oratio factus. 
6 Quanta vero credis suavitate perfundi talibus assuetum? Novit ipse (cfr. Iob 28,23), nam eo potius miror. 
7 Experienti dabitur scire, non conceditur inexpertis. 
8 Sic fervore spiritus bulliens acutus (cfr. Iob 41,22; Sap 7,22), et omnis aspectus et tota prorsus anima liquefacta (cfr. Cant 5,6) iam in caelestis regni (cfr. 2Tim 4,18) summa republica versabatur. 
9 Solitus erat pater beatus nullam visitationem Spiritus cum negligentia praeterire, siquidem cum offerebatur sequebatur eam, et quamdiu Dominus permittebat (cfr. 1Cor 16,7) fruebatur dulcedine sic oblata. 
10 Cum igitur aliquo negotio urgeretur, vel intentus esset itineri, tactus quosdam gratiae sensim persentiens, gustabat interpolatim et frequenter illud manna dulcis-simum. 
11 Nam et in via, sociis praecedentibus, gradum figebat, novamque inspirationem ad frui-tionem convertens, gratiam non recipiebat in vacuum (cfr. 2Cor 6,1).

TEXTO TRADUZIDO

Segunda Vida (2Cel) - 95

95 
1 Isso em casa. Quando rezava em florestas ou lugares ermos, enchia os bosques de gemidos, derramava lágrimas por toda parte, batia com a mão no peito e, achando-se mais oculto que num esconderijo, conversava muitas vezes em voz alta com o seu Senhor. 
2 Respondia ao juiz, fazia pedidos ao pai, conversava com o amigo, entretinha-se com o esposo. 
3 De fato, para fazer um holocausto múltiplo de todas as medulas de seu coração, propunha a seus próprios olhos de muitas maneiras aquele que é sumamente simples. 
4 Muitas vezes ficava ruminando com os lábios parados, e, levando para dentro todo o seu exterior, elevava-se até os céus. 
5 Transformado não só em orante mas na própria oração, unia a atenção e o afeto num único desejo que dirigia ao Senhor. 
6 De que suavidade não era invadido, ele que estava acostumado a orar dessa forma! Só ele é quem sabe. Eu apenas posso admirá-lo. 
7 Só quem tem a experiência disso pode saber; não é concedido aos que não experimentaram: 
8 assim, fervendo agudamente no fervor do espírito, com toda a aparência e absolutamente toda a alma derretida, já morava no reino do céu, na pátria do alto.
9 O bem-aventurado pai se acostumara a não perder por negligência nenhuma visita do Espírito, e por isso, quando lhe era oferecida alguma, seguia-a, saboreando a doçura que lhe era dada enquanto o Senhor o permitia. 
10 Quando era solicitado por outro afazer ou tinha que prestar atenção na viagem, e pressentia sensivelmente algum toque da graça, saboreava aqui e ali, com a maior freqüência, o dulcíssimo maná. 
11 Mesmo na estrada, deixava os companheiros irem à frente, parava e, entregando-se ao gozo da nova inspiração, não deixava passar em vão aquela graça.