LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Juliano de Spira
  • Vida de São Francisco

TEXTO ORIGINAL

Vita Sancti Francisci - 12

12.

1 Post haec humilis sui contemptor, et iam se ab hominibus contemni contemnens, ad leprosos se transtulit.

2 Quibus devotissime serviens, et eorum humiliter ulcera lavit, saniemque detergere non abhorruit.

3 Antea tamen huiusmodi in tantum despexerat, quod non solum illos e vicino, sed et eorum domos e longinquo prospiciens, nares manibus obturare consueverat.

4 At ubi sua illum Dominus gratia visitavit, adhuc in saeculari habitu constituto quidam fortuito leprosus occurrit;

5 quo etsi solito more horreret aspecto, vim tamen sibimet faciens vicit seipsum, et constanter accedens osculatus est illum.

6 Ex hoc itaque ad sui contemptum ferventius inardescens, bella sibi ipsi continua coepit ingerere, donec desuper ei daretur perfectam de se victoriam obtinere.

7 Fecit igitur, sicut ipse postmodum testatus est, misericordiam cum leprosis, quos etiam videre non poterat, cum adhuc viveret in peccatis.

8 Alios vero pauperes et afflictos, cum adhuc saeculo deditus esset, pio semper compassionis affectu respexit, et libentissime se pro Deo petentibus misericordiae manum porrexit.

9 Exprobrans autem praeter morem quadam vice pauperi se pro Deo roganti, mox super hoc compunctus gravissime doluit;

10 et nimis arbitrabatur indignum denegare quidquam pro tanti Regis nomine postulanti.

11 Itaque ex hoc a se pro Deo pauperibus aliquid petituris statuit repulsam non facere; quod et pro posse suo sollicite studuit adimplere.

12 Quo autem post conversionem erga pauperes compassionis spiritu moveretur, etsi satis perpendi valeat ex praesenti, postmodum tamen aliquantulum plenius exprimetur.

TEXTO TRADUZIDO

Vida de São Francisco - 12

12.

1 Depois disso, o humilde desprezador de si mesmo, já não se importando com o desprezo dos outros, foi morar com os leprosos.

2 Servindo-os com grande devoção, lavava-lhes as feridas e não se aborrecia por limpar o seu pus.

3 Antes disso, detestava tanto essas coisas que ao vê-los de perto ou mesmo deparando de longe com as suas casas, costumava tapar o nariz com as mãos.

4 Mas quando o Senhor o visitou com a graça, estando ainda em vestes seculares, apareceu de repente um leproso.

5 Embora, costumasse ficar horrorizado com seu aspecto, fez força contra si mesmo, venceu-se e, aproxi­mando-se com decisão, o beijou.

6 A partir de então, ardendo mais fervorosamente por se despre­zar, começou a fazer uma guerra constante contra si mes­mo, até que do alto lhe foi dado obter a completa vi­tória.

7 Por isso, como ele mesmo testemunhou mais tarde, teve misericórdia com os leprosos que, quando ainda estava em pecados, nem podia ver.

8 Mas sempre olhou com um piedoso sentimento de compaixão os outros pobres e aflitos quando ainda entregue ao mundo, e aos que lhe pediam por amor de Deus, estendia com prazer a mão da misericórdia.

9 Uma vez, repreendendo contra seu costume um pobre que lhe pediu por Deus, ficou logo compungido e sentiu grande dor,

10 porque achava indigno demais negar alguma coisa a alguém que pedia em nome de tão grande Rei.

11 Por isso, fez o propósito de jamais negar algo que os pobres pedissem por Deus. E tratou de cumprir isso quanto esteve ao seu alcance.

12 Ainda que, com isso, já dê para avaliar quanto era movido pelo espírito de compaixão pelos pobres, depois de sua conver­são, mais adiante vamos mostrar isso um pouquinho melhor.