LÍNGUA CLÁSSICA

O Frade Menor e a Solidão, Fr. Almir Ribeiro Guimaraes, OFM

O FRADE MENOR E A SOLIDÃO

Frei Almir Ribeiro Guimarães, OFM in http://www.franciscanos.org.br/v3/almir/artigos/espiritualidade/28.php

Tu, quando orares, entra no silêncio de teu quarto e fecha a porta e reza ao teu Pai que está no oculto (Mt 6,6).

Embora estejais a caminho, vosso comportamento seja humilde e digno, como se estivésseis no eremitério ou na cela. Com efeito, onde quer que estejamos ou andemos, temos sempre a cela conosco: pois o irmão corpo é nossa cela e a alma é o eremita que mora lá dentro, na cela, para rezar ao Senhor e meditar sobre ele. Afinal, se a alma não permanecer tranquila em sua cela, de pouca utilidade será ao religioso a cela construída com as mãos" (Espelho da Perfeição, cap. 65).

Completai em mim a obra começada; ó Senhor vossa bondade é para sempre! Eu vos peço: não deixeis inacabada esta obra que fizeram vossas mãos (Sl 137(138) 8).

O homem moderno já acha dificil estar só; ir em busca dos fundamentos do seu próprio eu é quase impossível para ele. E quando alguma vez permanece consigo mesmo no cantinho silencioso, e estiver quase chegando ao conhecimento de Deus, ele liga o rádio ou a televisão (Ernesto Cardenal). A solidão é a sala de audiência de Deus (Joaguim Caro Romero)

(Clique aqui para ver o conteúdo completo)