LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Escritos de São Francisco
  • Proposta de vida
  • Regra bulada

TEXTO ORIGINAL

Regra Bulada - 10

De admonitione et correctione fratrum

1 Fratres, qui sunt ministri et servi aliorum fratrum, visitent et moneant fratres suos et humiliter et caritative corrigant eos, non praecipientes eis aliquid, quod sit contra animam suam et regulam nostram.

2 Fratres vero, qui sunt subditi, recordentur, quod propter Deum abnegaverunt proprias voluntates.

3 Unde firmiter praecipio eis, ut obediant suis ministris in omnibus quae promiserunt Domino observare et non sunt contraria animae et regulae nostrae.

4 Et ubicumque sunt fratres, qui scirent et cognoscerent, se non posse regulam spiritualiter observare, ad suos ministros debeant et possint recurrere.

5 Ministri vero caritative et benigne eos recipiant et tantam familiaritatem habeant circa ipsos, ut dicere possint eis et facere sicut domini servis suis;

6 nam ita debet esse, quod ministri sint servi omnium fratrum.

7 Moneo vero et exhortor in Domino Jesu Christo, ut caveant fratres ab omni superbia, vana gloria, invidia, avaritia (cfr. Lc 12,15), cura et sollicitudine huius saeculi (cf Mt 13,22), detractione et murmuratione, et non curent nescientes litteras, litteras discere;

8 sed attendant, quod super omnia desiderare debent habere Spiritum Domini et sanctam eis operationem,

9 orare semper ad eum puro corde et habere humilitatem, patientiam in persecutione et infirmitate

10 et diligere eos qui nos persequuntur et reprehendunt et arguunt, quia dicit Dominus: Diligite inimicos vestros et orate pro persequentibus et calumniantibus vos (cf Mt 5,44).

11 Beati qui persecutionem patiuntur propter iustitiam, quoniam ipsorum est regnum caelorum (Mt 5,10). 12 Qui autem perseveraverit usque in finem hic salvus erit (Mt 10,22).

TEXTO TRADUZIDO

Regra Bulada - 10

Da admoestação e correção dos frades

1 Os frades que são ministros e servos dos outros frades visitem e admoestem seus frades e os corrijam humilde e caridosamente, não lhes prescrevendo o que for contra sua alma e nossa regra.

2 Mas os frades que são súditos lembrem que por Deus negaram suas próprias vontades.

3 Por isso lhes prescrevo firmemente que obedeçam a seus ministros em tudo que prometeram ao Senhor observar e que não é contrário a sua alma e à nossa regra.

4 E onde houver frades que saibam e conheçam que não podem observar a regra espiritualmente, devam e possam recorrer a seus ministros.

5 Mas os ministros os recebam caritativa e benignamente e tenham tanta familiaridade com eles que possam falar-lhes e agir como senhores com seus servos;

6 pois assim deve ser, que os ministros sejam servos de todos os frades.

7 Mas admoesto e exorto no Senhor Jesus Cristo que se guardem os frades de toda soberba, vanglória, inveja, avareza (cfr. Lc 12,15), cuidado e solicitude deste século (cfr. Mt 13,22), detração e murmuração, e não cuidem os que não sabem letras de aprender letras;

8 mas atendam a que sobre todas as coisas devem desejar ter o Espírito do Senhor e sua santa operação,

9 orar sempre a ele de coração puro e ter humildade, paciência na perseguição e na enfermidade

10 e amar os que nos perseguem e repreendem e acusam, porque diz o Senhor: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem e caluniam (cfr. Mt 5,44).

11 Bem-aventurados os que sofrem perseguição pela justiça, porque deles é o reino dos céus (Mt 5,10).

12 Mas o que perseverar até o fim, esse será salvo (Mt 10,22).