LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Juliano de Spira
  • Vida de São Francisco

TEXTO ORIGINAL

Vita Sancti Francisci - 26

26.

1 Recollegerat autem se verissimus ille paupertatis zelator cum fratribus suis in quoddam praedicti loci domicilium derelictum, ut ibidem se utcumque ab aestu pluviaque defenderent;

2 quod videlicet adeo strictum fuit, ut etiam commode in illo requiescere non valerent.

3 Sed tamen loci angustia cordis latitudinem non artavit, quin ibidem laetanter in summa penuria viverent et in continua gratiarum actione et laude (cfr. Is 51,3) persisterent.

4 Scribebat quoque vir sanctus per signa domunculae nomina fratrum, ne quis alterum quiescere vel orare volentem inquietare vel modicum posset, sed locum sibi deputatum unusquisque cognosceret.

5 Quadam vero die vir quidam cum asino venit ad locum; et ad umbram fortasse quaerendam volens introire tugurium, ut sine repulsa liberius intraret sic allocutus est asinum: “Ingredere, quia loco huic benefaciemus adhuc”.

6 Sed homo Dei verbum viri et intentionem graviter ferens (qui videlicet eos illic pro domibus aedificandis et dilatando vel appropriando sibi locello credidit adunatos), domicilium mox reliquit,

7 et ad locum, qui Portiuncula dicitur, ubi gloriosae Virginis ecclesiam reaedificaverat, transmigravit.

TEXTO TRADUZIDO

Vida de São Francisco - 26

26.

1 Verdadeiro observante da pobreza refugiou-se com seus irmãos numa casa abandonada do referido lugar para, de alguma forma, proteger-se do calor e da chuva.

2 Mas o lugar era tão apertado que nele nem podiam descansar comodamente.

3 Mas, o aperto do lugar não reduziu a largueza do coração a ponto de não poderem viver alegremente a maior penúria, persistindo em contínua ação de graças e louvor (Is 51,3).

4 E o santo também escreveu pelas traves da pequena casa os nomes dos irmãos, para que ninguém pudesse inquietar nem um pouquinho outro que quisesse descansar ou orar, podendo cada um saber o lugar a ele destinado.

5 Certo dia, porém, lá chegou um homem com um asno e, buscando talvez uma sombra, quis entrar no tugúrio. Para entrar melhor sem ser repelido, disse ao asno: “Entra, que ainda vamos deixar melhor este lugar!”

6 Mas o varão de Deus, levando a sério a intenção por essa palavra do homem (que achava que eles estavam reunidos ali para construir, ampliando e se apropriando do lugar) deixou logo o domicílio

7 e mudou-se para o lugar chamado Porci­úncula, onde tinha restaurado a igreja da gloriosa Virgem.