LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Vita Sancti Francisci - 30

    30.

    1 Saepius quoque fratribus suis vir Dei solatia gaudii spiritualis impendit, quibus ipse, corpore quidem absens, sed sptritu praesens (cfr. 1Cor 5,3) fuit.

    2 Referam breviter unum de multis. Nam tempore quodam, fratre Iohanne de Florentia capitulum in Provincia celebrante, ubi a beato Francisco minister fuerat constitutus, intererat eidem capitulo venerabilis ille frater, qui nunc sanctus et gloriosus Christi confessor, Antonius.

    3 Ubi dum sanctus iste, in exponendis divinarum Paginarum eloquiis sapientiae spiritu plenus (cfr. Act 6,3) super hac materia: “Iesus Nazarenus, Rex Iudaeorum (Ioa 19,19)” fratribus adunatis verbum exhortationis affectuose proponeret, frater quidam, Monaldus nomine, sacerdos, vir simplex et multarum virtutum ornatu praeclarus, faciem suam ad ostium domus convertit,

    4 viditque corporeis oculis qualiter beatus Franciscus in aëre sublevatus, veluti manibus in cruce protensis, fratres qui aderant benedixit.

    5 Tantumque subito singulis et universis gaudium spiritus est infusum, ut, quod idem sacerdos postea de ipsa visione narrabat, cunctis mirantibus ipsa faceret experientia fide dignum.

    TEXTO TRADUZIDO

    Vida de São Francisco - 30

    30.

    1 Mais vezes ainda, o homem de Deus comunicou a seus irmãos consolações de alegrias espirituais, ausente de cor­po, mas presente com o espírito (1Cor 5,3).

    2 Vou contar, rapidamente, um entre tantos. Uma vez, quando Frei João de Floren­ça celebrava o Capítulo na Provença, onde fora feito ministro pelo bem-aventurado Francisco, es­tava presente nesse mesmo capítulo o venerável Frei Antônio, que agora é san­to e glorioso confessor de Cristo.

    3 Enquanto este santo, cheio do Espírito de sabedoria (At 6,3), expunha as palavras das divinas Páginas sobre o tema: Jesus Nazareno, Rei dos Judeus (Jo 19,19) e afetuosamente propunha aos irmãos reunidos uma palavra de exortação, um certo irmão chamado Monaldo, sacerdote, homem simples e preclaro por suas muitas virtudes, virou o rosto para a porta da casa,

    4 e viu com os olhos corporais como bem-aventurado Francisco, suspenso no ar e com as mãos estendidas em cruz, abençoar os irmãos que estavam presentes.

    5 Foi imediatamente infundida em cada um e em todos um grande gozo de espírito, de modo que, quando esse sacerdote contava depois a sua visão, para admiração de todos sua experiência tornava-o digno de fé.