LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Juliano de Spira
  • Vida de São Francisco

TEXTO ORIGINAL

Vita Sancti Francisci - 40

40.

1 Similiter quadam vice, cum in lacu Reatino resideret in navi, piscis quidam non parvus, qui vulgo finca vocatur, vivus oblatus est ei.

2 Quem ipse vir sanctus non manducandum sed libertati restituendum hilariter et benigne recipiens, ipsum fratrem piscem vocavit, oransque et nomen Domini (cfr. Ps 112,2) benedicens, in aquam reposuit.

3 Persistente autem ipso in oratione et laudibus, piscis in aqua ludens a navicula non recessit, donec ei licentiam beatus Franciscus, oratione completa, concessit.

4 Sic igitur gloriosus Christi confessor non solum sensibilibus, de quibus perlongum esset narrare per singula, bestiis videlicet et avibus imperavit, sed ad illius obsequium in alteram naturam insensibilia etiam Dominus elementa convertit.

5 De quorum similibus unum quoque libet ut breviter enarremus.

6 Nam cum ipse vir sanctus apud eremum Sancti Urbani quadam vice graviter aegrotaret, aqua sibi mirabiliter in vinum mutata est;

7 factumque est ut ad gustum illius tam facile sanitatem reciperet, quod divinum hoc esse miraculum nullus ambigeret.

TEXTO TRADUZIDO

Vida de São Francisco - 40

40.

1 Semelhantemente, uma vez, estando numa barca no lago de Rieti, deram-lhe um peixe vivo, não pequeno, dos que o povo chama de tinca.

2 O santo homem recebeu-o com ale­gria e benevolência, não para comê-lo, mas para restituir-lhe a liberdade. Chamou o peixe de irmão, orou, abençoou-o em nome do Senhor (Sl 112,2) e o repôs na água.

3 Mas o peixe brin­cava na água e não se afastou da barca, enquanto o santo continuava a oração e o louvor, até que, terminada a oração, o bem-aven­turado Francisco lhe deu licença de ir embora.

4 Assim, pois, o glorioso confessor de Cristo não só teve poder sobre os seres sensíveis, isto é, sobre os animais e as aves, e seria demasiadamente longo narrar cada caso, mas, em sua honra, o Senhor mudou a natureza tam­bém dos seres insensíveis.

5 Também vamos contar brevemente só um fato entre outros semelhantes.

6 Uma vez em que o santo estava gravemen­te doente no eremitério de Santo Urbano, a água mudou-se miraculosamente em vinho para ele.

7 E aconteceu que, quando ele provou o vinho, ficou tão facilmente curado, que ninguém duvidou que se tratava de um milagre.