LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Juliano de Spira
  • Vida de São Francisco

TEXTO ORIGINAL

Vita Sancti Francisci - 54

54. 1 Advenit denique nox solemnis, aderatque beatus Franciscus, pluribus illic secum fratribus adunatis.2 Praeparato itaque praesaepio foenum imponitur, adducti bos et asinus ad praesaepium collocantur, et sic cum gaudio vigiliae celebres inchoantur. 3 Confluente igitur e diversis locis multitudine populi, facta est nox illa iucunditatis insolitae plena, facta est cereis et facibus luminosa, novoque ritu celebrantur Bethlehem novae solemnia. 4 Fratres quoque laudes Domino debitas exsolvebant; sed et cuncti qui aderant novis laetitiae canticis applaudebant. 5 Stabat autem coram praesaepio beatus Franciscus; stabat, inquam, suspiriis prae gaudio plenus; stabat indicibili suavitate perfusus. 6 Tandem super ipsum praesaepe sacra missarum aguntur solemnia, cum et ipse sanctus Dei levita, solemnibus ornamentis indutus, Evangelium voce sonora pronuntiat, ac deinde populo de nato in Bethlehem Rege paupere melliflua praedicat. 7 Tanta vero pietatis dulcedine circa iam dicti Regis afficiebatur infantiam, ut, si quando Iesum Christum nominare deberet, ipsum veluti balbutiens “puerum de Bethlehem” prae nimia amoris teneritudine nuncuparet.

TEXTO TRADUZIDO

Vida de São Francisco - 54

54. 1 Finalmente. chegou a noite solene, e lá estava o bem-aventurado Francisco, reunindo consigo vários frades.2 Preparada a manjedoura, colocaram o feno, trouxeram para o seu lado o boi e o burro e começaram com alegria as celebrações da vigília. 3 Tendo acorrido muita gente de diversos lugares, aquela noite ficou cheia de uma insólita alegria, iluminada por velas e fachos, e as solenida­des da nova Belém foram celebradas com um novo rito. 4 Os frades cantavam os louvores devidos ao Senhor, e todos os que es­tavam presentes aplaudiam com novos cantos de alegria. 5 O bem-aventurado Francisco estava diante do presépio, cheio de suspiros pelo júbilo, estava ali inundado de indizível suavidade. 6 Finalmente, celebrou-se o rito da missa em cima do presépio, e o próprio santo de Deus, vestindo os solenes para­mentos como levita, proclamou com voz sonora o Evangelho e depois pregou ao povo doces coisas sobre o Rei que nasceu pobre em Belém. 7 Sentia tanta doçura e piedade pelo nascimento desse Rei que, quando tinha que dizer o nome de Jesus Cristo, pela enorme ternura de amor chamava-o de “menino de Belém”, como se estivesse balbuciando.