LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Vita Sancti Francisci - 66

    66. 1 Hic igitur erga virum sanctum mirando dilectionis affectu flagrabat; hic pauperculo Iesu Christi, tamquam famulus domino, ministrabat. 2 Contestabatur idem ipse postmodum ad apostolicam dignitatem provectus, se numquam in tanta perturbatione fuisse, quin omne mentis nubilum in solo viri Dei intuitu vel affatu discederet, subitaque serenitatis suavitas et iucunditatis dulcedo rediret. 3 Unde et quoties ipsum videbat, ei tamquam Christi apostolo (cfr. 1Cor 1,1) reverentiam exhibebat. 4 Hic itaque beatum Franciscum, ut curam sui gereret; instanter admonuit; cui et ipse sanctus in hoc humiliter, sicut et in aliis omnibus, obedivit. 5 Factis igitur cocturis in capite, venis incisis, collyriis et emplastris adhibitis, nihil penitus ad sanitatem profecit; quin potius ipsum malum medicaminibus multiplicatis accrevit. 6 Ipse vero tot incommoda corporis in omni patientia et gratiarum actione sustinuit; despectisque corporalium membrorum molestiis, totam ad Deum intentionem, spiritu confortato, direxit. 7 Et ut internae consolationi liberius posset intendere, quatuor fratrum, virorum virtutis (cfr. 1Mac 5,50), deputabatur custodiae, qui et omni sollicitudine insistebant ipsius non solum necessitudini corporis procurandae, verum etiam quietudini spiritus observandae.

    TEXTO TRADUZIDO

    Vida de São Francisco - 66

    66. 1 Por isso ele nutria pelo santo um afeto admirável e servia o pobrezinho de Jesus Cristo como um servo ao senhor. 2 Mais tarde, elevado à dignidade apostóli­ca, testemunhava que nunca tivera qualquer perturbação que não desaparecesse de sua mente só em ver ou em ouvir falar o homem de Deus, e que lhe voltava de repente a suavidade da serenidade e a doçura da alegria. 3 Por isso, sempre que o via, o reverenciava como a um apóstolo de Cristo (1Cor 1,1). 4 Assim, também ele admoestou com insistência o bem-aventurado Francisco a cuidar de si mesmo; e o santo humildemente lhe obedeceu nisso como em todas as outras coisas. 5 Entretanto, nada absolutamente ajudou-o a melhorar na saúde, apesar de terem sido feitas cauterizações na cabeça, cortadas veias, usados colírios e emplastros. Pelo contrário, por excesso de medicamentos, o mal se agravou. 6 Mas ele mesmo suportou todos os incômodos corporais com toda paciência e ação de graças e, sem se importar com as moléstias de seus membros corporais, confortado, voltou todo o seu pensamento para Deus. 7E para poder dedicar-se à íntima consolação com maior liberdade, confiou-se à guarda de quatro irmãos,homens de virtude (cf. 1Mc 5,50), que não só o assistiram nas suas necessidades corporais, mas também para manter a tran­quilidade de espírito.