LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Juliano de Spira
  • Vida de São Francisco

TEXTO ORIGINAL

Vita Sancti Francisci - 67

67. 1 Iam gloriosus pater, in tantarum non mediocriter virtutum gratia consummatus, transegisse se dies vacuos reputavit; 2 et quamvis esset ad exteriora corporis exercitia prorsus inutilis, semetipsum tamen adhuc ad triumphos novi certaminis incitavit. 3 Dicebat enim: “Incipiamus, fratres, Deo servire. Incipiamus”, inquit, “et proficiamus, quoniam parum hucusque profecimus”. 4 Volebat rursus ad simplicitatis redire primordia; volebat leprosis contemptibiliter de novo servire, et ab hominum conversatione ad loca remotissima se transferre. 5 Ab omni quoque se cura regiminis cupiebat eximere, eo quod multis de causis periculosum assereret, maxime in hoc tempore, praelationis locum tenere; esse vero plurimis utile magis regi quam regere. 6 Cumque moram faceret (cfr. Mat 25,5) apud Senas, quasi mense sexto ante obitum suum, toto corpore gravius quam solebat attritus, propinquare videbatur ad exitum. 7 Festinato itaque de longinquo frater Helias accurrit, eumque in adventu suo paululum respirantem secum ad Cellam de Cortona perduxit. 8 Ubi dum stetisset per modicum, acrius invalescente morbo, deduci se rogavit Assisium. 9 Quo postquam pervenit, facta est non modica totius exsultatio civitatis; et gratias agentes (cfr. Eph 5,20) laudaverunt unanimiter Dominum, quod tantum penes se recondi speravere thesaurum (cfr. Tob 12,8).

TEXTO TRADUZIDO

Vida de São Francisco - 67

67. 1 Não mediocremente realizado pela graça de tantas virtudes, o glorioso pai julgava ter passado inutilmente os seus dias; 2 e, em­bora estivesse incapacitado para executar qualquer movimento externo, incitava a si mesmo a triunfar na nova batalha. 3 Pois dizia: “Irmãos, comece­mos a servir a Deus. Comecemos e continuemos, porque até ago­ra progredimos muito pouco”. 4 Queria voltar de novo ao tempo da simplicidade, queria servir de novo humildemente os leprosos e ir para lugares muito distantes da convivência dos ho­mens. 5 Queria eximir-se de qualquer responsabilidade de go­verno, porque, por muitos motivos, julgava perigoso, sobretudo nesse tempo, assumir o lugar de prelado; porque é muito mais útil ser governado do que governar. 6 Numa ocasião em que fez uma parada (cf. Mt 25,5) em Sena, quase no sexto mês antes de sua morte, sofrendo em todo o corpo mais do que de costume, parecia que se aproximava do fim. 7 Ra­pidamente Frei Elias acorreu de longe; ao chegar, encontrou-o res­pirando com dificuldade e, por isso, levou-o consigo a Celle di Cortona. 8 Depois de ter ficado aí pouco tempo, como a doença se agravou, pediu para ser levado a Assis. 9Depois que chegou, uma grande ale­gria invadiu toda a cidade, e, dando graças (Ef 5,20), louvavam unanimemente o Senhor, porque esperavam guardar para si tão grande tesouro (Tb 12,8; Mt 13,44).