LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Legenda dos Três Companheiros

TEXTO ORIGINAL

Legenda Trium Sociorum - 43

43. 
1 Et si quando contingebat ut unus alteri diceret verbum quod posset illum turbare, tantum conscientia mordebatur quod non poterat quiescere donec dicebat culpam suam, prosternens se in terram humiliter ut pedem fratris turbati faceret poni super os suum. 
2 Quod si frater turbatus pedem super os alterius ponere nolebat, si erat praelatus ille qui turbaverat alterum praecipiebat illi ut pedem poneret super os suum, si vero erat subditus faciebat hoc illi praecipi a praelato. 
3 Sicque studebant ut omnis rancor et malitia fugaretur ab eis et perfecta inter ipsos semper dilectio servaretur, satagentes pro posse singulis vitiis singulas virtutes opponere, praeveniente et coadjuvante eos gratia Iesu Christi. 
4 Nihil insuper sibi proprium vindicabant, sed libris et aliis collatis eisdem utebantur communiter (cfr. Act 2,44; 4,32) secundum formam ab apostolis traditam et servatam. 
5 Cum autem in eis et inter eos esset vera paupertas, erant tamen liberales et largi de omnibus sibi pro Deo collatis, libenter dantes amore ipsius omnibus petentibus et maxime pauperibus eleemosynas eis datas.

TEXTO TRADUZIDO

Legenda dos Três Companheiros - 43

43. 
1 E se acontecia alguma vez de um dizer ao outro qualquer palavra que o pudesse perturbar, tanto lhe remordia a consciência, que não podia descansar até que não dissesse a sua culpa, prostrando-se no chão, humildemente, a fim de que o irmão ofendido lhe pusesse o pé sobre a boca. 
2 Se o irmão ofendido não quisesse pôr o pé sobre a boca do ofensor, este, sendo prelado, ordenava-lhe em nome da obediência; mas se o ofensor era súdito, ele mesmo fazia com que tal lhe fosse ordenado pelo prelado. 
3 Assim esforçavam-se por afastar todo rancor e malícia, para que fosse conservada a perfeita caridade entre eles, empenhando-se quanto podiam por opor a cada vício uma virtude, com o impulso e o auxílio da graça de Jesus Cristo. 
4 Além disso, nada reivindicavam como próprio, mas usavam em comum os livros e outras coisas recebidas, segundo a forma transmitida e mantida pelos apóstolos. 
5 Embora houvesse verdadeira pobreza neles e entre eles, eram contudo liberais e pródigos com todas as coisas que Deus lhes concedia, dando de boa vontade por seu amor a todos que pedissem e especialmente aos pobres as esmolas a eles oferecidas.