LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Legenda Trium Sociorum - 46

    Caput XII - Qualiter beatus Franciscus cum undecim sociis ivit ad curiam papae ut notificaret ei suum propositum et faceret confirmari regulam quam scripserat.

    46. 
    1 Videns autem beatus Franciscus quod Dominus fratres suos numero et merito augmentaret, cum iam essent duodecim viri perfectissimi sentientes idipsum, dixit illis undecim, ipse duodecimus dux et pater eorum: “Video, fratres, quod Dominus congregationem nostram vult misericorditer augmentare. 
    2 Euntes ergo ad matrem nostram sanctam romanam ecclesiam, notificemus summo pontifici quae Dominus per nos facere coepit, ut de voluntate et praecepto ipsius quod coepimus prosequamur”. 
    3 Cumque placuisset aliis fratribus dictum patris et simul cum eo iter arripuissent ad curiam, dixit eis: 
    4 “Faciamus unum ex nobis ducem nostrum et habeamus ipsum quasi vicarium Iesu Christi ut quocumque declinare voluerit declinemus, et quando hospitari voluerit hospitemur”. 
    5 Et elegerunt fratrem Bernardum, primum post beatum Franciscum, et sicut pater dixerat servaverunt. 
    6 Gaudentes igitur ibant et verba Domini loquebantur, non audentes aliquid loqui nisi quod ad laudem et gloriam Dei et ad utilitatem animae pertinebat, et frequenter orationi vacabant. 
    7 Dominus autem semper eis praeparabat hospitium, faciens illis necessaria ministrari.

    TEXTO TRADUZIDO

    Legenda dos Três Companheiros - 46

    Capítulo 12 - Como o bem-aventurado Francisco, com os onze companheiros, foi à cúria do papa notificar-lhe seu propósito e conseguir a aprovação da Regra que havia escrito. 

    46. 
    1 Vendo o bem-aventurado Francisco que Deus fazia crescer seus irmãos em número e mérito, sendo eles já doze homens perfeitíssimos e tendo os mesmos sentimentos, disse aos onze, ele que era o duodécimo, guia e pai deles: “Vejo, irmãos, que Deus, por sua misericórdia, quer que nossa congregação cresça. 
    2 Vamos, pois, à nossa Mãe a Santa Igreja Romana, notifiquemos ao Sumo Pontífice o que o Senhor começou a fazer por nosso intermédio, a fim de que, conforme a sua vontade e ordem, continuemos o que começamos”. 
    3 Como tivesse agradado aos outros frades o que foi dito pelo pai e tivessem começado com ele o caminho para a cúria, disse-lhes: 
    4 - “Façamos um de nós como nosso guia, e o tenhamos como representante de Jesus Cristo. Aonde for, para lá iremos. Quando quiser se hospedar, nos hospedaremos”. 
    5 Elegeram Frei Bernardo, o primeiro após o bem-aventurado Francisco, e observaram o que o pai lhes dissera. 
    6 Caminhavam contentes, falando palavras do Senhor, não se atrevendo a falar outra coisa a não ser o que fosse para louvor e glória de Deus e utilidade da alma, e freqüentemente se entregavam à oração. 
    7 O Senhor sempre lhes preparava hospedagem, fazendo com que lhes dessem o necessário.