LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Legenda Trium Sociorum - 47

    47. 
    1 Cum autem venissent Romam et invenissent ibi episcopum civitatis Assisii, ab ipso cum ingenti gaudio sunt suscepti, nam Beatum Franciscum et omnes fratres speciali venerabatur affectu. 
    2 Nesciens tamen causam adventus eorum, coepit turbari, timens ne patriam propriam vellent deserere, in qua Dominus per eos coeperat mirabilia operari. 
    3 Gaudebat enim vehementer tantos viros in suo episcopatu habere, de quorum vita et moribus maxime praesumebat. 
    4 Sed audita causa eorumque intellecto proposito gavisus est valde, spondens eis ad hoc consilium et iuvamen. 
    5 Erat autem idem episcopus notus cuidam cardinali episcopo Sabinensi, qui dicebatur dominus Iohannes de Sancto Paulo, vere gratia Dei plenus, diligens plurimum servos Dei. 
    6 Huic praefatus episcopus patefecerat vitam beati Francisci et fratrum suorum, propter quod ipse affectabat videre virum Dei et aliquos de fratribus suis. 
    7 Audiens autem quod essent in Urbe, misit pro illis et suscepit eos cum magna reverentia et amore.

    TEXTO TRADUZIDO

    Legenda dos Três Companheiros - 47

    47. 
    1 Mas quando chegaram a Roma e ali encontraram o bispo da cidade de Assis, foram recebidos por ele com grande alegria, pois o venerava o bem-aventurado Francisco e todos os frades com especial afeto. 
    2 Não conhecendo a razão da sua vinda, começou a perturbar-se, pensando que quisessem abandonar a sua pátria, onde o Senhor começara, através deles, a operar maravilhas. 
    3 De fato, ficava muito contente de ter em sua diocese tais homens, de cuja vida e costumes esperava o máximo. 
    4 Mas tendo ouvido o motivo e entendido seu propósito, muito se alegrou, prometendo-lhes conselho e auxílio no empreendimento. 
    5 Era esse bispo conhecido de certo cardeal, bispo de Sabina, que se chamava Dom João de São Paulo, verdadeiramente cheio da graça de Deus, muito amigo dos servos de Deus. 
    6 O bispo de Assis contara-lhe a vida do bem-aventurado Francisco e de seus irmãos, e por isso desejava ardentemente ver o homem de Deus e alguns de seus companheiros. 
    7 Ouvindo que estavam em Roma, mandou chamá-los e os recebeu com grande reverência e amor.