LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Anônimo Perusino

TEXTO ORIGINAL

Anonimo Perusino - 4

4

1 Qui cum quadam die in apotheca, in qua pannos consueverat vendere, circa huiusmodi negotia secum sollicitus cogitaret, apparuit pauper quidam postulans ab eo pro Domino elemosinam sibi dari. 2 Cui dictus Franciscus, illectus cogitatione divitiarum et cura supradictorum, data licentia elemosinam denegavit. 3Quo receden­te, divina prospectus gratia, coepit seipsum redarguere velut magnae rusticitatis 4 dicens: “Si pro aliquo Comite vel Barone magno pau­per huius postulasset, ei petita porrexisses. 5 Quanto magis proRege Regum et omnium Domino (cfr. Apoc 17,14) hoc facere debuisti?”.

6 Cuius rei causa exinde in corde suo proposuit pro tanto Domino postulata de cetero se nemini negaturum. 7 Et vocans dictum pauperem sibi elemosinam est largitus.

8 O cor, inquam, omni plenum gratia, fructuosum et illuminatum! 9 O firmum et sanctum propositum, cui mirabilis et insperata succedit de futuris illuminatio singularis. 10 Nec mirum certe, cum voce formata Sancto Spiritu vociferet Isaias: Cum effuderis esurienti animam tuam et animam afflictam repleveris, orietur in tenebris lux tua et tenebrae tuae erunt sicut meridies (Is 58,10), 11 Et: cum fregeris panem tuum esurienti, tunc erumpet quasi mane lumen tuum, et anteibit faciem tuam iustitia tua (Is 58,7-8).

TEXTO TRADUZIDO

Anônimo Perusino - 4

4

1 Certo dia, estava na loja, onde costumava vender panos, solicitamente absorvido nos negócios, quando apareceu um pobre pedindo que lhe desse uma esmola por amor de Deus. 2 O sobredito Francisco, entregue ao pensamento das riquezas e ao cuidado do que dissemos, negou-lhe a esmola, mandando-o embora. 3 Enquanto o mendigo saía, o jovem, tocado pela graça, começou a reprovar-se por sua grande grosseria, 4 dizendo: “Se aquele pobre te houvesse pedido uma contribuição em nome de algum conde ou grande barão, lhe darias o que pediu. 5 Quanto mais o devias ter feito pelo Rei dos reis e Senhor de tudo!”

6 Por esse motivo propôs, no coração, não recusar mais nada, daí em diante, que fosse pedido em nome de tão grande Senhor. 7 Chamou o dito pobre e lhe deu uma boa esmola.

8 Ó coração cheio de toda graça, frutuoso e iluminado! 9 Ó firme e santo propósito, que foi seguido por admirável e inesperada, iluminação singular do futuro! 10 Nem é de admirar, se pela voz do Espírito Santo Isaías proclamou: Quando derramares tua alma pelo esfomeado e saciares a alma aflita, nascerá nas trevas a tua luz, e tuas trevas serão como o meio dia (Is 58,10), 11 E: Quando repartires teu pão com o que tem fome, tua luz romperá como a da manhã, e tua justiça precederá tua face (Is 58,7-8).