LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Anonimo Perusino - 12

    12

    1 Dum hoc facerent et beatus Franciscus adesset, venit quidam sacerdos Silvester nomine, a quo beatus Franciscus emerat lapides pro Ecclesia Sancti Damiani resarcienda, apud quem etiam morabatur antequam socios haberet fratres.

    2 Videns igitur dictus sacerdos illos taliter pecuniam expendentes, avaritiae anhelans aestibus, concupivit de illa pecunia sibi dari et coepit murmurare, dicens: ‑ “Francisce, non bene persolvisti mihi de lapidibus quos emisti a me”. 3 Audiens autem beatus Franciscus illum iniuste murmurantem qui a se omnem avaritiam repulerat, accessit ad fratrem Bernardum et mittens manum in clamidem eius, ubi erat pecunia, extraxit manum plenam denariis deditque sacerdoti. 4 Iterumque manum ponens in clamide extraxit denarios, ut semel iam fecerat, et iterum dedit dicto presbitero, dicens ei: ‑ “Habes adhuc plene solutionem?”. “Plene”, inquit. 5 Quo facto sacerdos laetus ad domum suam regreditur.

    TEXTO TRADUZIDO

    Anônimo Perusino - 12

    12

    1 Enquanto faziam isso, com a presença do bem-aventurado Francisco, veio um sacerdote chamado Silvestre, de quem o bem-aventurado Francisco comprara pedras para reformar a igreja de São Damião, junto à qual morava antes de ter irmãos companheiros.

    2 Vendo-os dispor do dinheiro daquele jeito, o sacerdote, desejoso pelos ardores da avareza, quis que lhe dessem daquele dinheiro e começou a murmurar: — “Francisco, não pagaste bem as pedras que me compraste”. 3 Ouvindo-o murmurar injustamente, o bem-aventurado Francisco que repelira de si toda avareza, aproximou-se de Frei Bernardo e, pondo a mão em seu manto, onde estava o dinheiro, tirou a mão cheia de moedas e deu-as ao sacerdote. 4 Pondo de novo a mão na capa tirou moedas, como já tinha feito uma vez, e deu-as de novo ao presbítero, dizendo: “Agora está tudo pago?”. “Está”, disse ele. 5 Feito isso, o sacerdote voltou alegre para sua casa.