LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Anonimo Perusino - 13

    13

    1 Post paucos dies idem sacerdos, a Domino inspiratus, coepit super iis quae beatus Franciscus fecerat cogitare, dicens: ‑ “Nonne ego miser sum qui, cum sim senex, haec temporalia concupisco et quaero, et hic juvenis ea pro Dei amore despicit et abhorret?”.

    2 Nocte itaque sequente vidit in somnis Crucem immensam valde, cuius summitas caelos tangebat, pes autem eius in ore beati Francisci stabat (cfr. Gen 28,12).3 Latera autem Crucis ab una parte mundi usque ad partem alteram tendebantur.

    4 Evigilans igitur ille sacerdos, credidit beatum Franciscum esse vere amicum Dei, et quod esset per universum mundum Religio quam coeperat dilatanda. Et sic coepit deinde timere Deum et paenitentiam agere in domo sua. 6 Et parvo post tempore evoluto, fratrum Ordinem est ingressus, et bene vixit et gloriose finivit.

    TEXTO TRADUZIDO

    Anônimo Perusino - 13

    13

    1 Poucos dias depois, o mesmo sacerdote, inspirado pelo Senhor,  começou a pensar no que o bem-aventurado Francisco tinha feito, dizendo: — “Será que não sou um miserável, eu que, sendo velho, desejo e procuro essas coisas temporais, enquanto esse jovem despreza-as e as aborrece por amor de Deus?

    2 “Na noite seguinte viu uma cruz imensa demais, cuja ponta tocava os céus, enquanto o seu pé estava na boca do bem-aventurado Francisco”. 3 Mas os lados da cruz se estendiam de uma extremidade do mundo até a outra.

    4 Ao acordar, o sacerdote acreditou que o bem-aventurado Francisco era de fato amigo de Deus e que a religião que iniciara deveria estender-se ao mundo inteiro. 5 Começou assim a temer a Deus e a fazer penitência em sua casa. 6 E pouco tempo mais tarde entrou na Ordem dos frades, onde viveu bem e terminou gloriosamente.