LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Anonimo Perusino - 14

    Caput III ‑ De primo foco ubi morati sunt et de persecutione parentum suorum.

    14

    1 Postquam vero dicti frater Bernardus et frater Petrus, venditis facultatibus suis earum pretium (ut diximus) pauperibus erogarunt (cfr.  Luc 18,22), induti sunt sicut vir Dei beatus Franciscus indutus erat, et associati sunt ei.

    2 Non habentes autem hospitium ubi manerent, abierunt et invenerunt Ecclesiam quandam pauperculam quasi derelictam, quae Sancta Maria de Portiuncula dicebatur. 3 Et fecerunt ibi unam domunculam, ubi pariter morabantur.

    4 Post dies octo iterum venit ad eos alius vir nomine Aegidius, de civitate eadem, homo devotissimus et fidelissimus, cui Dominus gratiam multam dedit. 5 Et cum devotione magna et reverentia, flexis genibus, beatum Franciscum rogavit (cfr. Mar 10,17) ut eum in societatem suam recipere dignaretur.6 Quod audiens et videns beatus Franciscus laetus efficitur, et recepit eum alacriter et libenter. 7 Et sic isti quatuor habuerunt immensam laetitiam et spiritualegaudium magnum valde (cfr.  Mat 2,10).

    TEXTO TRADUZIDO

    Anônimo Perusino - 14

    CAPITULO 3 – Sobre o primeiro lugar onde moraram e sobre a perseguição de seus parentes

    14

    1 Mas depois que Frei Bernardo e Frei Pedro, tendo vendido suas propriedades deram o seu valor aos pobres, como dissemos, vestiram-se como o homem de Deus bem-aventurado Francisco e se associaram a ele.

    2 Não tendo casa para ficar, foram e acharam uma igreja pobrezinha quase abandonada, que se chamava Santa Maria da Porciúncula. 3 Construíram ali uma cabana. onde moraram juntos.

    4 Oito dias depois, veio a eles de novo um outro chamado Egídio, da mesma cidade, homem devotíssimo e fidelíssimo, a quem o Senhor deu muita graça. 5 De joelhos, com grande devoção e reverência, pediu a Francisco que se dignasse recebe-lo em seu grupo. 6 Ouvindo e vendo isso, o bem-aventurado Francisco ficou contente, e recebeu-o alegremente e de boa vontade. 7 E assim os quatro tiveram uma imensa alegria e um gozo espiritual muito grande.