LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Anonimo Perusino - 16

    16

    1 Qui eos audiebant, dicebant ad invicem: ‑ “Qui sunt isti, et quae verba dicunt?”.

    2 Quidam eorum dicebant quia stulti vel ebrii videntur. Alii autem dicebant: ‑ “Non sunt verba stultorum ea quae proferunt ore suo”. 3 Respondens unus eorum dixit: ‑ “Propter summam perfectionem Domino adhaeserunt aut insani facti sunt, quia vita corporis eorum desperata videtur. Nudis pedibus ambulant, vires vestes induti sunt, parco cibo utentes”.4 Adhuc tamen non sequebantur eos. 5 Mulieres autem iuvenculae, videntes eos a longe, fugiebant paventes ne forte stultitia tenerentur. 6 Quamvis autem minime ipsos sequerentur, timorati nihilominus remanebant visa forma sanctae conversationis qua insigniti pro Domino videbantur.

    7 Cumque circuissent illam provinciam, ad dictum locum Sanctae Mariae de Portiuncula sunt reversi.

    TEXTO TRADUZIDO

    Anônimo Perusino - 16

    16

    1 Os que ouviam comentam entre si: “Quem são estes? O que estão dizendo?”.

    2 Alguns deles diziam que eram doidos ou pareciam bêbados. Mas outros diziam: — “Não são palavras de doidos as proferidas por sua boca”. 3 Um deles disse: “Por causa da maior perfeição aderiram ao Senhor ou se fizeram insanos, porque a vida de seu corpo parece desesperada. Andam descalços, vestem roupas vis, usam pouca comida”. 4 Mas ainda não os seguiam. 5 As mulheres moças, vendo-os de longe, fugiam temendo que fossem loucos. 6 Entretanto, embora nos os seguissem, ficavam temerosos por ver a forma de santo comportamento que pareciam ter recebido do Senhor.

    7 Depois de ter percorrido aquela província, voltaram ao citado lugar de Santa Maria dos Anjos.