LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Anônimo Perusino

TEXTO ORIGINAL

Anonimo Perusino - 23

23

1 [Licet autem sic benige tractarentur ab isto], in tantum tamen apud [alios] homines tunc fratres viles communiter reputabantur, ut multi parvi et magni facerent eis et dicerent sicut domini servis suis. 2 Et licet haberent vilissima indumenta et paupercula, plures tamen eis libenter auferebant. 3 Cumque sic nudi remanerent, quia unam tantum habebant tunicam(cfr.  Luc 6,29)semper tamen formam evangelicam observabant, non eam auferentibus repetentes. 4 Si tamen illi pietate moti volebant restituere, recipiebant libenter.

5 Et quibusdam lutum in capite iactabant; cuidam quoque eorum taxilli in manu fuerunt positi, si vellet ludere invitando. 6 Quidam autem frater post dorsum cuiusdam portatus fuit, appensus per caputium, quantum placuit portitori. 7 Haec eis et multa alia faciebant affligentes eos, quae idcirco non dicimus, ne verba nostra nimium dilatemus. 8 In tantum enim eos vilissimos reputabant, quod secure et audacter affligebant eos quasi malefactores essent. 9 Insuper etin fame et siti et frigore et nuditate (cfr.  1Cor 11,27)multas tribulationes et angustias tollerabant.

10 Haec autem omnia constanter et patienter, sicut a beato Francisco moniti fuerant, sustinebant. 11 Non contristabantur nec conturbabantur, sed sicut homines in magno lucro positi exsultabant in tribulationibus et gaudebant, et Deum sollicite pro suis persecutoribus(cfr.  Mat 5,44) exorabant.

TEXTO TRADUZIDO

Anônimo Perusino - 23

23

1 Entretanto, apesar de terem sido tratados tão bondosamente por esse homem, entre outras pessoas então os frades eram comumente tidos como vis, e muitos, pequenos e grandes, tratavam-nos e falavam com eles como senhores com seus servos. 2 Embora tivessem roupas miseráveis e paupérrimas, muitos as tiravam de boa vontade. 3 Como ficavam despidos, porque só tinham uma túnica, observaram sempre a forma evangélica, não as reclamando dos que tinham tirado. 4 Mas se eles queriam restituir, movidos de piedade, recebiam de boa vontade.

5 Alguns lhes jogavam barro na cabeça; colocaram dados nas mãos de um deles, convidando-o a jogar. Um frade foi carregado pelo capuz nas costas de um outro, por quanto tempo lhe aprouve. 7 Faziam-lhes essas coisas e muitas outras, afligindo-os, mas não as contamos para que nossa narração não se alongue demais. 8 Julgavam-nos tão desprezíveis, que os afligiam com segurança e audácia, como se fossem malfeitores. 9 Além disso, suportavam muitas tribulações e angústias, com fome, sede, frio e nudez.

10 Mas aguentavam tudo isso com constância e paciência, como tinham sido ensinados pelo bem-aventurado Francisco. 11 Não ficavam tristes nem perturbados mas, como homens que estivessem numa situação de grande vantagem, exultavam nas tribulações e se alegravam, orando solicitamente a Deus por seus perseguidores.