LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Anonimo Perusino - 43

    43

    1 Post hoc inspiravit Dominus quendam de Cardinalibus nomine Hugolinum Episcopum Ostiensem, qui beatum Franciscum et fratres eius dilexit intime, non sicut amicus tantum, sed potius tamquam pater. 2Audita autem fama illius, accessit ad eum beatus Franciscus. 3 Viso autem eo, cardinalis suscepit eum cum gaudio, dicens ei: ‑ ”Offero vobis me ipsum ad consilium et auxilium et protectionem ad vestrum placitum, et volo quod me recommendatum in vestris orationibus habeatis”.

    4 Beatus vero Franciscus gratias Altissimo reddidit, quod ad dandum consilium et auxilium et protectionem inspiraverit cor illius, et dixit ad eum: ‑ 5 “Volo libenter mei et fratrum meorum omnium patrem et dominum vos habere, et volo quod fratres omnes pro vobis rogare Dominum teneantur”. 6 Deinde rogavit eum ut venire ad Capitulum fratrum in Pentecosten dignaretur. 7At ille annuit, et annis singulis veniebat.

    8 Quando autem veniebat, exibant ei obviam processionaliter fratres omnes in Capitulo congregati. 9Ille vero, venientibus fratribus, descendebat de equo et ibat pedes cum fratribus usque ad Ecclesiam propter devotionem quem erga ipsos habebat. 10 Et eis sermonem postmodum faciebat, et celebrabat Missam, et beatus Franciscus Evangelium decantabat.

    TEXTO TRADUZIDO

    Anônimo Perusino - 43

    43

    1 Depois disso, o Senhor inspirou um cardeal de nome Hugolino, bispo de Óstia, que amou profundamente o bem-aventurado Francisco e seus frades, não só como um amigo, mas antes como um pai. 2 Tendo ouvido a sua fama, o bem-aventurado Francisco aproximou-se dele. 3 Quando o viu, o Cardeal recebeu-o com júbilo, dizendo-lhe; — “Eu me ofereço a vós para conselho, auxílio e proteção à vossa vontade, e quero que me tenham recomendado em vossas orações”.

    4 O bem-aventurado Francisco rendeu graças ao Altíssimo, que lhe havia inspirado o coração para dar conselho, auxílio e proteção, e lhe disse: 5 “Quero, de boa vontade, ter-vos como pai e senhor meu e de todos os meus irmãos, e que todos os frades rezem a Deus por vós”. 6 Em seguida pediu que se dignasse vir ao capítulo de Pentecostes. 7 Ele aceitou e vinha todos os anos.

    8 Quando vinha, todos os frades reunidos em Capítulo saíam em procissão ao seu encontro. 9 Ele, quando os frades chegavam, apeava do cavalo e seguia a pé, com os frades, até a igreja, pela devoção que tinha para com eles. 10 Depois fazia-lhes um sermão, celebrava a Missa, e o bem-aventurado Francisco cantava o Evangelho.