LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Prima Vita (1Cel) - 17

    17. 
    1 Deinde vero totius humilitatis sanctus amator se transtulit ad leprosos, eratque cum eis, diligentissime serviens omnibus propter Deum, et lavans putredinem omnem ab eis, ulcerum etiam saniem extergebat, sicut ipse in Testamento suo loquitur dicens: 
    2 “Quia cum essem in peccatis, nimis amarum mihi videbatur videre leprosos, et Dominus conduxit me inter illos, et feci misericordiam cum illis”. 
    3 In tantum namque, ut dicebat, aliquando amara ei leprosorum visio exsistebat ut, cum tempore vanitatis suae per duo fere milliaria eminus ipsorum domos respiceret, nares suas propriis manibus obturaret. 
    4 Sed, cum iam gratia et virtute Altissimi, sancta et utilia (cfr. Luc 1,35; Tit 3,8) inciperet cogitare, in saeculari adhuc habitu constitutus leprosorum unum obvium habuit die quadam, et semetipso fortior effectus accessit, et osculatus est eum (cfr. Mar 14,45).
    5 Exinde quoque coepit seipsum magis ac magis contemnere, quousque misericordia Redemptoris ad perfectam suimet victoriam perveniret. 
    6 Aliorum quoque pauperum, in saeculo manens et adhuc saeculum sequens, erat adiutor, non habentibus porrigens misericordiae manum, et afflictis gerens compassionis affectum. 
    7 Nam cum die una, praeter morem suum, quia curialissimus erat, cuidam pauperi postulanti ab eo eleemosynam exprobrasset, statim poenitentia ductus (cfr. Mat 27,3), coepit dicere intra se (cfr. Luc 7,49), magni vituperii fore magnique dedecoris petenti pro nomine tanti Regis subtrahere postulata. 
    8 Posuit deinde in corde suo (cfr. Ps 13,1; Act 5,4) nemini pro Deo a se petenti, secundum posse de caetero aliquid denegare. 
    9 Quod et diligentissime fecit et implevit, quousque totum omnimode praebuit semetipsum, evangelici consilii primitus exsecutor quam doctor effectus: 
    10 Qui petit a te, inquit, da ei, et volenti a te mutuari ne avertaris (cfr. Mat 5,42).

    TEXTO TRADUZIDO

    Primeira Vida (1Cel) - 17

    17. 
    1 Depois disso, amante santo de toda humildade, transferiu-se para um leprosário. Vivia com os leprosos, servindo com a maior diligência a todos por amor de Deus. Lavava-lhes qualquer podridão dos corpos e limpava até o pus de suas chagas, como disse no Testamento: 
    2 “Como estivesse ainda em pecado, parecia-me deveras insuportável olhar para leprosos, mas o Senhor me conduziu para o meio deles e eu tive misericórdia com eles”. 
    3 Essa visão lhe era tão insuportável que, em suas próprias palavras, no tempo de sua vida mundana, tapava o nariz só de ver suas cabanas a duas milhas de distância.

    4 Mas, eis que um dia, quando, por graça e força do Altíssimo, ainda vivia como secular mas já tinha começado a pensar nas coisas santas e úteis, encontrou-se com um leproso e, superando-se, chegou e o beijou. 
    5 A partir de então, foi ficando cada dia mais humilde até chegar à perfeita vitória sobre si mesmo, por misericórdia do Redentor. 
    6 Ajudava também os outros pobres, mesmo quando ainda era secular e seguia o espírito do mundo, estendendo sua mão misericordiosa para os que não tinham nada e mostrando compassivo afeto para com os aflitos. 
    7 Houve um dia em que, contra seu costume, porque era muito bem educado, tratou mal um pobre que lhe pedia esmola. Mas logo, arrependido, começou a dizer consigo mesmo que era grande ofensa e vergonha negar a quem estivesse pedindo no nome de tão grande Rei, o que quisesse. 
    8 Resolveu que jamais negaria a quem lhe pedisse em nome de Deus o que estivesse ao seu alcance. 
    9 E o cumpriu com muita diligência, até oferecer totalmente a si mesmo, fazendo-se antes um cumpridor que um mestre do Evangelho: 
    10 “Dá a quem te pede e não te desvies daquele que te pedir emprestado (cfr. Mt 5,42).”.