LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Tomás de Celano
  • Primeira Vida (1Cel)

TEXTO ORIGINAL

Prima Vita (1Cel) - 33

33. 
1 Verum quia homo erat providus et discretus, coepit eum de multis interrogare et, ut ad vitam monasticam seu eremiticam diverteret, suadebat. 
2 At sanctus Franciscus suasionem eius humiliter, prout poterat, recusabat, non persuasa despiciendo, sed alia pie affectando, altiore desiderio ferebatur. 
3 Mirabatur dominus ille fervorem ipsius, et timens ne a tanto proposito resiliret, ei planiora itinera ostendebat.
4 Tandem eius constantiae victus precibus acquievit, et coram domino papa studuit eius negotia de caetero promovere. 
5 Praeerat tunc temporis Ecclesiae Dei (cfr. 1Cor 1,2) dominus Innocentius papa tertius, vir gloriosus, doctrina quoque affluentissimus, sermone clarissimus, zelo iustitiae fervens in iis quae christianae fidei cultus causa poscebat. 
6 Hic cum virorum Dei votum agnovisset, discretione praevia, petitioni eorum assessum praebuit et effectu prosequente complevit, atque de plurimis exhortatus et monens eos, benedixit santo Francisco et fratribus eius, 
7 dixitque eis: “Ite cum Domino, fratres, et prout Dominus vobis inspirare dignabitur, omnibus poenitentiam praedicate. 
8 Cum enim omnipotens Dominus vos numero multiplicabit (cfr. Deut 7,12.13) et gratia, ad me cum gaudio (cfr. Luc 10,17) referetis, et ego vobis his plura concedam et securius maiora committam”. 
9 Vere Dominus erat cum (cfr. 1Re 3,19) sancto Francisco quocumque pergebat (cfr. Gen 20,16), eum revelationibus laetificans et beneficiis exhortans. 
10 Nam cum nocte quadam se sopori dedisset, visum est sibi per quamdam viam ambulare, iuxta quam arbor magnae proceritatis stabat. 
11 Arbor illa pulchra et fortis, grossa et alta nimis (cfr. Dan 4,7.8). 
12 Factum est autem dum appropinquaret (cfr. Luc 7,11.12) ad eam, et sub ea stans eius pulchritudinem et altitudinem miraretur (cfr. Iudt 10,14), subito ipse sanctus ad tantam devenit altitudinem, ut cacumen arboris tangeret, eamque manu capiens facillime inclinaret ad terras. 
13 Et revera sic actum est, cum dominus Innocentius, arbor in mundo excelsior et sublimior, eius petitioni et voluntati se tam benignissime inclinavit.

TEXTO TRADUZIDO

Primeira Vida (1Cel) - 33

33. 
1 Entretanto, prudente e discreto, interrogou-o sobre muitos pontos e tentou persuadi-lo a passar para a vida monástica ou eremítica. 
2 Mas São Francisco recusou com humildade e quanto lhe foi possível esse conselho, sem desprezar os argumentos, mas por estar piedosamente convencido de que era conduzido por um desejo mais elevado. 
3 Admirava-se o prelado com seu fervor, e temendo que fraquejasse em tão altos propósitos, mostrava-lhe caminhos mais fáceis. 
4 Afinal, vencido por sua constância, anuiu a seus rogos e procurou apoiar sua causa diante do papa. 
5 Regia a Igreja de Deus naquele tempo o Papa Inocêncio III, homem ilustre, muito rico em doutrina, celebérrimo orador e muito zeloso da justiça em tudo que se referia ao culto da fé cristã. 
6 Informado do desejo daqueles homens de Deus, depois de refletir, aceitou o pedido e deu-lhe despacho. Tendo-lhes feito muitas exortações e admoestações, abençoou São Francisco e seus irmãos 
7 e lhes disse: “Ide com Deus, irmãos, e conforme o Senhor se dignar inspirar-vos, pregai a todos a penitência. 
8 Quando o Senhor vos tiver enriquecido em número e graça, vinde referir-me tudo com alegria, e eu vos concederei mais do que agora e, com maior segurança, vos confiarei encargos maiores”. 
9 Na verdade, o Senhor estava com São Francisco, onde quer que ele fosse, alegrando-o com revelações e animando-o com benefícios. 
10 Certa noite, viu-se em sonhos andando por um caminho, ao lado do qual havia uma árvore de grande porte. 
11 A árvore era bela e forte, grossa e muito alta. 
12 E aconteceu que, estando debaixo dela a admirar sua beleza e altura, o próprio santo tornou-se de repente tão alto que tocava o cimo da árvore e com suas mãos conseguia vergá-la facilmente até o chão. 
13 De fato, foi o que aconteceu quando Inocêncio III, a árvore mais alta e mais respeitável do mundo, se inclinou com tanta benignidade ao pedido e à vontade de Francisco.