LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Prima Vita (1Cel) - 38

    38. 
    1 Sed de ordine, quem charitate pariter et professione assumpsit et tenuit, praecipue sermo in manibus est. 
    2 Quid enim? Ordinem Fratrum Minorum primitus ipse plantavit, et ea sciliciet occasione hoc ei nomen imposuit. 
    3 Cum nempe sic in Regula scriberetur: “Et sint minores”, ad huius sermonis prolationem, ea quidem hora: “Volo”, inquit, “ut Ordo Fratrum Minorum fraternitas haec vocetur”. 
    4 Et vere minores, qui ‘omnibus subditi’ exsistentes, semper quaerebant locum vilitatis, et officium exercere, et in quo quaedam fore iniuria videretur, ut sic solido verae humilitatis fundari mererentur, ut felici dispositione in eis consurgeret omnium virtutum fabrica spiritalis. 
    5 Revera super constantiae fundamentum (cfr. Eph 2,20) charitatis nobilis structura surrexit, in qua vivi lapides (cfr. 1Pet 2,5), ex omnibus mundi partibus coacervati, aedificati sunt in habitaculum Spiritus (cfr. Eph 2,22) Sancti. 
    6 O quanto charitatis ardore flagrabant novi Christi discipuli! Quantus in eis piae societatis vigebat amor! 
    7 Cum enim alicubi pariter convenirent, vel in via, ut moris est, sibi invicem obviarent, ibi spiculum spiritualis resultabat amoris, super omnem amorem verae dilectionis seminarium spargens. 
    8 Quid ilud? Casti amplexus, suaves affectus, osculum sanctum, dulce colloquium, risus modestus, aspectus iucundus, oculus simplex (cfr. Mat 6,22), animus supplex, lingua placabilis, responsio mollis (cfr. Prov 15,4.1), idem propositum, promptum obsequium et indefessa manus.

    TEXTO TRADUZIDO

    Primeira Vida (1Cel) - 38

    38. 
    1 Mas o nosso principal assunto agora é a Ordem, que assumiu e sustentou igualmente tanto por seu amor como por sua profissão. 
    2 Que diremos? Foi ele mesmo quem fundou a Ordem dos Frades Menores e assim lhe deu o nome: 
    3 quando estavam escrevendo na Regra: “e sejam menores”, ao ouvir essas palavras disse: “Quero que esta fraternidade seja chamada Ordem dos Frades Menores”. 
    4 De fato, eram menores, porque eram “submissos a todos”, sempre procuravam o pior lugar e queriam exercer o ofício em que pudesse haver alguma desonra, para merecerem ser colocados sobre a base sólida da humildade verdadeira e neles pudesse crescer auspiciosamente a construção espiritual de todas as virtudes. 
    5 Em verdade, sobre o fundamento da constância levantou-se a nobre construção da caridade, na qual as pedras vivas, recolhidas em todas as partes do mundo, tornaram-se templo do Espírito Santo. 
    6 Que fogo de caridade abrasava os novos discípulos de Cristo! Quão forte era o laço que os unia no amor do piedoso grupo! 
    7 Quando se reuniam em algum lugar, ou quando se encontravam na estrada, reacendia-se o fogo do amor espiritual, espargindo suas sementes de amizade verdadeira sobre todo o amor. 
    8 E como? Com castos abraços, com terno afeto, com ósculos santos, uma conversa amiga, sorrisos modestos, semblante alegre, olhar simples, ânimo suplicante, língua moderada, respostas afáveis, o mesmo desejo, pronto obséquio e disponibilidade incansável.