LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Prima Vita (1Cel) - 53

    53. 
    1 Multa quoque in hunc modum saepissime faciebat, ut et se ipsum perfecte contemneret et ad honorem perpetuum caeteros invitaret. 
    2 Factus erat sibi tamquam vas perditum (cfr. Ps 30,13), nullo timore, nulla sollicitudine pro corpore oneratus, strenuissime obiciebat ipsum contumeliis, ne ipsius amore temporale aliquid concupiscere cogeretur. 
    3 Verus sui contemptor omnes seipsos contemnere verbo et exemplo utiliter instruebat. 
    4 Quid enim? Magnificabatur ab omnibus (cfr. Luc 4,15) et laudabili iudicio efferebatur a cunctis, sed solus ipse se vilissimum reputabat, solus se ardentissime contemnebat. 
    5 Saepe namque ab omnibus honoratus, dolore nimio sauciabatur et favorem humanum pro foribus arcens, faciebat sibi e regione ab aliquo exprobrari. 
    6 Vocabat quoque ad se fratrem aliquem, dicens ei: “Per obedientiam tibi dico, ut mihi duriter iniurieris et contra istorum mendacia vera loquaris”. 
    7 Cumque frater ille, licet invitus, eum rusticum, mercenarium et inutilem diceret, subridens et applaudens plurimum, respondebat: 
    8 “Benedicat tibi Dominus! (Num 6,24)”, quia verissima loqueris; talia enim decet audire filium Petri de Bernardone!”. 9 Sic loquens nativitatis suae humilia primordia recolebat.

    TEXTO TRADUZIDO

    Primeira Vida (1Cel) - 53

    53. 
    1 Tinha atitudes dessas com muita freqüência, tanto para desprezar-se com perfeição como para convidar os outros a uma honra que não se acaba. 
    2 Julgava-se desprezível, sem temor nem preocupação pelo corpo, que expunha valentemente aos maus tratos, para não ser levado por seu amor a cobiçar alguma coisa terrena 
    3 Verdadeiro desprezador de si mesmo, sabia ensinar os outros a se desprezarem também, falando e dando exemplo. 
    4 Resultado: era exaltado por todos e todo mundo o tinha em alta conta, pois só ele mesmo se julgava o mais vil e só ele se desprezava com ardor. 
    5 Muitas vezes sentia uma dor imensa quando era venerado por todos e, para se livrar da consideração humana, encarregava alguém de o insultar. 
    6 Também chamava algum irmão e lhe dizia: “Mando-te por obediência que me injuries com dureza e que digas a verdade contra a mentira dessa gente”. 
    7 E quando o irmão, contra a vontade, o chamava de vilão, mercenário e parasita, respondia sorrindo e aplaudindo bastante: 
    8 “O Senhor te abençoe porque estás falando as coisas mais verdadeiras. É isso que o filho de Pedro de Bernardone precisa ouvir!” 
    9 Dizia isso para lembrar sua origem humilde.