LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Tomás de Celano
  • Primeira Vida (1Cel)

TEXTO ORIGINAL

Prima Vita (1Cel) - 107

107. 
1 Interea infirmitate crescente, omne robur corporis eius elanguit, et omnibus viribus destitutus, nullo modo poterat se movere. 
2 Et quidem cum a quodam fratre fuisset interrogatus, quid vellet potius tolerare, hanc scilicet diuturnam et sic longam infirmitatem, an a carnifice quodcumque grave martyrium sustinere, respondit: 
3 “Illud mihi, fili, illud dulcius, acceptiusque semper exstitit et exsistit, quod Domino Deo meo magis in me et de me fieri placet (cfr. Deut 13,18; Rom 12,1), cuius utique voluntati solum semper desidero concors et obediens per omnia inveniri. 
4 Sed in cuiuslibet martyrii compensatione hanc infirmitatem pati vel per tres dies molestius mihi foret; quod non pro mercedis remuneratione loquor, sed pro sola quam ingerit molestia (cfr. Dan 3,50) passionis”. 
5 O martyr et martyr, qui ridens et gaudens libentissime tolerabat quod omnibus erat acerbissimum et gravissimum intueri! 
6 Revera nullum in eo remanserat membrum absque nimio passionis dolore, et calore naturali sensim amisso, ad extrema quotidie propinquabat. 
7 Stupebant medici, mirabantur fratres, quomodo spiritus vivere posset in carne sic mortua, cum consumptis carnibus, sola cutis ossibus adhaereret (cfr. Iob 19,20).

TEXTO TRADUZIDO

Primeira Vida (1Cel) - 107

107. 
1 Nesse meio tempo, a doença se agravou, desvanesceu-se todo o vigor de seu corpo e, já sem forças, não se podia mover de maneira alguma. 
2 Perguntando-lhe um frade o que preferia suportar: essa doença constante e demorada ou o martírio violento nas mãos de um carrasco, respondeu: 
3 “Filho, para mim a melhor coisa, a mais agradável e desejável sempre consistiu em fazer o que o Senhor mais desejar de mim e em mim. A única coisa que desejo é estar sempre de acordo e obedecendo à sua vontade em tudo e por tudo. 
4 Para mim, no entanto, suportar esta doença, mesmo que seja por mais três dias, seria mais doloroso do que qualquer martírio. Não estou falando de recompensa por merecimento, mas apenas do sofrimento que a doença traz consigo”. 
5 Duas vezes mártir era ele, que suportava de boa vontade, risonho e alegre, o que para os outros era duro e insuportável só de ver! 
6 De fato, “não tinha sobrado nele membro algum sem excessiva dor”. Já tinha perdido o calor natural e se aproximava cada vez mais da morte. 
7 Espantavam-se os médicos e admiravam-se os frades de que seu espírito pudesse viver em um corpo já tão morto, pois a carne já se havia consumido e estava reduzido a pele e ossos.