LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Prima Vita (1Cel) - 126

    126. 
    1 Clamat proinde voce altisona papa beatus, et protensis ad caelum (cfr. 2Mac 3,20) manibus inquit: “Ad laudem et gloriam omnipotentis Dei Patris et Filii et Spiritus sancti, et gloriosae Virginis Mariae, et beatorum Apostolorum Petri et Pauli, et ad honorem gloriosae Ecclesiae Romanae, beatissimum patrem Franciscum, quem Dominus glorificavit in caelis, venerantes in terris, de consilio fratrum nostrorum et aliorum praelatorum, in catalogo sanctorum decernimus adnotandum, et festum eius die obitus sui celebrari”. 
    2 Ad hanc quoque vocem coeperunt reverendi cardinales cum domino papa “Te Deum laudamus” alta voce cantare. 
    3 Attollitur proinde clamor populorum multorum (cfr. Is 17,12), laudantium Deum (cfr. Luc 2,13), et immensas resonat terra voces, repletur iubilationibus aer, et tellus lacrimis madidatur. 
    4 Cantantur cantica nova (cfr. Ps 32,3), et in melodia spiritus iubilant servi Dei (cfr. Iob 38,7). 
    5 Audiuntur ibi organa melliflua, et carmina spiritualia modulatis vocibus decantantur. 
    6 Ibi suavissimus odor (cfr. Ex 29,18) respirat, et iucundior melodia omnium movens affectus resultat ibidem; emicat illa dies et splendidioribus radiis coloratur. 
    7 Ibi olivarum virentes rami et reliquarum arborum (cfr. Mat 21,8) comae recentes; ibi festivus ornatus, lucidius incandescens cunctos exornat, et pacis benedictio convenientium laetificat mentes. 
    8 Descendit denique de solio excelso (cfr. Is 6,1) felix papa Gregorius, et per inferiores gradus ad offerenda vota et sacrificia (cfr. Num 29,39) sanctuarium intrat (cfr. Ps 72,17), tumbamque continentem sacrum et Deo dicatum corpus felicibus labiis osculatur. 
    9 Offert et multiplicat preces (cfr. Iob 40,22; Is 1,15), celebratque mysteria sacra. 
    10 Stat circa illum corona fratrum (cfr. Sir 50,3) laudans, adorans et benedicens omnipotentem Deum (cfr. Luc 24,52.53; 2Mac 3,22), qui fecit magna in omni terra (cfr. Sir 50,24). 
    11 Amplificat universus populus laudes Dei (cfr. Mat 27,25; Luc 18,43), et in honore Trinitatis excelsae sancto Francisco persolvunt sacrarum munera gratiarum. Amen. 
    12 Facta sunt autem haec in civitate Assisii, secundo anno pontificatus domini papae Gregorii Noni, septimo decimo die kalendarum mensis augusti.

    TEXTO TRADUZIDO

    Primeira Vida (1Cel) - 126

    126. 
    1 Clamou afinal o Papa em voz alta e, estendendo as mãos para o céu, disse: “Para louvor e glória de Deus todo poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo, da gloriosa Virgem Maria, dos santos apóstolos Pedro e Paulo, e para honra da gloriosa Igreja Romana, venerando na terra o bem-aventurado pai Francisco, a quem Deus glorificou no céu, tendo ouvido o conselho de nossos irmãos e de outros prelados, decretamos que ele seja incluído no catálogo dos santos e que sua festa seja celebrada no dia de sua morte”. 
    2 Ouvidas essas palavras, os reverendos cardeais começaram a cantar em voz alta, com o senhor Papa, o Te Deum laudamus. 
    3 Juntou-se o clamor de todo aquele povo, louvando a Deus. Reboou a terra, encheu-se o ar de júbilo, molhou-se o chão de lágrimas. 
    4 Entoavam cânticos novos e os servos de Deus se rejubilavam com a melodia do espírito. 
    5 Os hinos espirituais eram cantados com voz melodiosa, acompanhados por maviosos instrumentos musicais. 
    6 Respirava-se um agradável perfume e pairava no ar uma doce melodia, que a todos deixava comovidos. O dia era esplêndido e radiante com as cores mais maravilhosas. 
    7 Verdes estavam as oliveiras e cobertas todas as árvores de folhagem renovada. A ornamentação festiva refulgia no rosto das pessoas e a bênção da paz alegrava os corações de todos os presentes. 
    8 No fim, o feliz Papa Gregório desceu do trono e entrou no santuário pela escadaria inferior, para oferecer os votos e sacrifícios. Beijou com alegria a tumba que encerrava o corpo sagrado e dedicado ao Senhor. 
    9 Fez repetidas preces, celebrou os mistérios sagrados. 
    10 Rodeava-o a coroa dos irmãos, louvando, adorando e bendizendo a Deus onipotente, que realizou portentos em toda a terra. 
    11 O povo inteiro repetia os louvores de Deus e em honra da Trindade excelsa rendeu graças a São Francisco. Amém. 
    12 Tudo isso aconteceu na cidade de Assis, no segundo ano do pontificado do Senhor Papa Gregório IX, a 16 de julho de 1228.