LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Prima Vita (1Cel) - 127

    MIRACULA S. FRANCISCI.

    In Christi nomine incipiunt miracula sanctissimi Patris nostri Francisci. 

    127. 
    1 Iesu Christi Domini nostri suppliciter gratiam (cfr. 2Cor 8,9; 13,13) invocantes, ad excitandam praesentium amplectendam devotionem, et futurorum corroborandam fidem, miracula quae coram domino papa Gregorio, ut dictum est, perlecta sunt et populo nuntiata, Christo duce (cfr. Dan 9,25), breviter sed veraciter conscribemus.

    I. De contractis sanatis. 
    2 Eo namque die quo sacrum et sanctum corpus beatissimi patris Francisci reconditum fuit velut pretiosissimus thesaurus, magis supercaelestibus aromatibus quam terrenis speciebus inunctum, apportata est puella quaedam, iam per annum habens collum monstruose plicatum et caput humero adnexum, nec poterat nisi ex obliquo sursum respicere. 
    3 Quae dum sub arca, in qua pretiosum sancti recondium iacebat corpus, caput aliquamdiu submisisset, statim meritis sanctissimi viri collum erexit et in condecenti statu caput exstitit reparatum, ita quod puella ex subita sui mutatione obstupefacta nimis, coepit fugere ac plorare. 
    4 Fovea quaedam namque apparebat in humero cui caput fuerat applicatum, propter situm quem fecerat infirmitas diuturna.

    TEXTO TRADUZIDO

    Primeira Vida (1Cel) - 127

    MILAGRES DE S. FRANCISCO

    Em nome de Cristo, começam os milagres de nosso santíssimo pai Francisco 

    127. 
    1 Para animar nossos contemporâneos a abraçar sua devoção e para corroborar a fé dos futuros, invocamos suplicantes a graça de Nosso Senhor Jesus Cristo e transcrevemos, em forma breve mas fiel, os milagres que - como dissemos - foram lidos e anunciados ao povo na presença do senhor papa Gregório.

    I. Dos paralíticos curados 
    2 No mesmo dia em que o sacrossanto corpo do bem-aventurado pai Francisco, embalsamado pelos aromas do céu mais do que por especiarias terrenas, foi sepultado como um tesouro muito precioso, trouxeram uma menina que havia mais de um ano estava com o pescoço monstruosamente torcido e a cabeça enterrada no ombro, de modo que só de soslaio conseguia olhar para cima. 
    3 Mas ela colocou por algum tempo a cabeça embaixo da urna em que jazia o precioso corpo do santo e imediatamente, pelos méritos dele, endireitou o pescoço e recobrou a posição normal da cabeça. A transformação foi tão repentina que a criança, muito assustada, fugiu chorando. 
    4 Devido à prolongada enfermidade, estava com uma cavidade no ombro, no lugar em que a cabeça estivera dobrada.