LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Tomás de Celano
  • Primeira Vida (1Cel)

TEXTO ORIGINAL

Prima Vita (1Cel) - 145

145. 
1 Frater quidam in Marchia de Ancona sub obedientia nostrae religionis militans, in iliis vel in costis gravissimum morbum fistulae tolerabat, ita quod ab omni curatione medicorum, ob immensitatem morbi, iam fuerat desperatus. 
2 Petiit deinde a ministro suo, sub cuius obedientia morabatur, licentiam veniendi ad visitandum locum in quo corpus Patris beatissimi quiescebat, gerens fidem per ipsius sancti merita curationis suae se gratiam adepturum. 
3 Minister vero ipsius eum veniret prohibuit, dubitans propter nives et pluvias quae tunc temporis erant, ne maius ex itineris fatigatione incurreret detrimentum. 
4 Cumque de non habita licentia frater ille aliquantulum turbaretur, nocte quadam sanctus pater Franciscus adstitit ei, dicens: “Fili, noli de huiusmodi de caetero anxiari, sed exue te pelliceo quo indueris, et emplastrum proice cum superposita ligatura, observaque regulam tuam et liberaberis”. 
5 Qui mane surgens, iuxta praeceptum eius omnia fecit, et de subita liberatione gratias egit Deo (cfr. Act 27,35).

TEXTO TRADUZIDO

Primeira Vida (1Cel) - 145

145. 
1 Um de nossos frades, na Marca de Ancona, tinha uma fístula de tal gravidade nas ilhargas ou nas costas, que todos os médicos já tinham desistido de tratá-lo. 
2 Pediu então licença ao seu ministro para ir visitar o túmulo do santo pai, achando que conseguiria a graça da cura pela fé nos merecimentos do santo. 
3 Mas o ministro não deixou, temendo que por causa da neve e das chuvas daquele tempo o frade viesse a piorar pelo cansaço da viagem. 
4 Estando o frade um tanto perturbado por não ter conseguido a licença, apareceu-lhe uma noite São Francisco e lhe disse: “Filho, não te perturbes mais com isso, tira as peles que estás vestindo, e joga fora o emplastro e as ataduras. Observa tua Regra e serás libertado”. 
5 Ao levantar-se, de manhã, obedeceu ao que lhe tinha sido mandado e pôde agradecer a Deus pela cura repentina.