LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • São Boaventura
  • Legenda Maior

TEXTO ORIGINAL

Legenda Maior - II,4


1 Tentabat deinde pater carnis filium gratiae pecunia iam nudatum ducere coram episcopo civitatis, ut in ipsius manibus facultatibus renuntiaret paternis et omnia redderet quae habebat. 
2 Ad quod faciendum se promptum exhibuit verus paupertatis amator, perveniensque coram episcopo, nec moras patitur nec cunctatur de aliquo, nec verba exspectat nec facit; sed continuo depositis omnibus vestimentis, restituit ea patri. 
3 Inventus est autem tunc vir Dei cilicium habere ad carnem sub vestibus delicatis. 
4 Insuper ex admirando fervore spiritu ebrius, reiectis etiam femoralibus, totus coram omnibus denudatur, dicens ad patrem:”Usque nunc vocavi te patrem in terris, amodo autem secure dicere possum: Pater noster, qui es in caelis (Mat 6,9), apud quem omnem thesaurum reposui et omnem spei fiduciam collocavi”. 
5 Hoc cernens episcopus et admirans tam excedentem in viro Dei fervorem, protinus exsurrexit et inter brachia sua illum cum fletu recolligens, uti erat vir pius et bonus, pallio, quo erat amictus, operuit, praecipiens suis, ut aliquid sibi darent ad membra corporis contegenda. 
6 Oblatus est autem ei mantellus pauper et vilis cuiusdam agricolae servientis episcopi, quem ipse gratanter suscipiens, cum caemento quod sibi occurrit, ad modum crucis manu propria consignavit, operimentum formans ex eo crucifixi hominis et pauperis seminudi. 
7 Sic igitur servus Regis altitissimi nudus relictus est, ut nudum sequeretur crucifixum Dominum, quem amabat; 
8 sic utique cruce munitus, ut animam suam ligno salutis committeret, per quod de mundi naufragio salvus exiret.

TEXTO TRADUZIDO

Legenda Maior - II,4


1 Depois, o pai da carne quis levar diante do bispo da cidade o filho da graça, já despido do dinheiro, para que em suas mãos renunciasse aos direitos paternos e devolvesse tudo que tinha. 
2 Ele se mostrou pronto para fazer isso, verdadeiro amante da pobreza, e, chegando diante do bispo, não quis saber de demoras nem de questionar coisa alguma. Não esperou palavras nem as disse. Tirou imediatamente todas as roupas e as devolveu ao pai. 
3 Descobriu-se, então, que o homem de Deus tinha um cilício na carne, embaixo das roupas finas. 
4 Além disso, ébrio em espírito pelo admirável fervor, tirou até os calções, ficando completamente nu diante de todos e dizendo ao pai: “Até agora eu te chamei de pai na terra, mas agora posso dizer com segurança: Pai nosso, que estais nos céus, pois junto dele depositei todo tesouro e coloquei toda a minha confiança”. 
5 Vendo isso, e admirado de um fervor tão transbordante no homem de Deus, o bispo logo se levantou recolhendo-o entre seus braços com lágrimas, e, como era um homem piedoso e bom, cobriu-o com o manto que vestia, mandando aos seus que lhe dessem alguma coisa para cobrir os membros do corpo. 
6 Ofereceram-lhe uma capinha pobre e vil de um camponês que servia ao bispo. Ele o recebeu agradecido e, com cal, que encontrou, marcou-o com uma cruz por sua própria mão, formando com ele a roupa de um homem crucificado e de um pobre seminu. 
7 Assim foi deixado nu o servo do Rei altíssimo para que seguisse o Senhor nu e crucificado, a quem amava. 
8 Assim também foi munido com a cruz, para entregar sua alma ao lenho da cruz, pelo qual sairia salvo do naufrágio do mundo.