LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Legenda Maior - III,2


    1 Coepit ex hoc vir Dei divino instinctu evangelicae perfectionis aemulator existere et ad poenitentiam ceteros invitare. 
    2 Erant autem ipsius eloquia non inania nec risu digna, sed virtute Spiritus sancti plena (cfr. Luc 4,1); erant medullas cordis penetrantia, ut in vehementem stuporem audientes converterent. 
    3 In omni praedicatione sua pacem annuntians dicendo:”Dominus det vobis paceme!”, populum in sermonis exordio salutabat. 
    4 Hanc quippe salutationem, Domino revelante, didicerat, sicut ipse postmodum testabatur. 
    5 Unde factum est ut iuxta sermonem propheticum et ipse spiritu prophetarum afflatus, annuntiaret pacem, praedicaret salutem (cfr. Is 52,7) 
    6 ac salutaribus monitis foederaret plurimos verae paci, qui discordes a Christo, prius exstiterant a salute longinqui.

    TEXTO TRADUZIDO

    Legenda Maior - III,2


    1 Desde então o homem de Deus começou a ser por instinto divino um emulador da perfeição evangélica, e a convidar os outros à penitência, 
    2 E suas palavras não eram vazias nem dignas de riso, mas cheias por virtude do Espírito Santo: penetravam nas medulas do coração, para converter os ouvintes em um veemente estupor. 
    3 Em toda pregação sua anunciava a paz, saudando o povo no começo do sermão: “O Senhor vos dê a paz!”. 
    4 Pois, como ele mesmo atestou mais tarde, aprendera essa saudação por revelação do Senhor. 
    5 Daí que, feito de acordo com a pregação profética e ele mesmo inspirado pelo espírito dos profetas, anunciava a paz e pregava a salvação. 
    6 E com salutares conselhos uniu à verdadeira paz muitos que, discordando de Cristo, estavam antes afastados da salvação.