LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • São Boaventura
  • Legenda Maior

TEXTO ORIGINAL

Legenda Maior - IV,11

11 
1 Cum autem, dilatato iam Ordine, vivendi formam per dominum Innocentium approbatam disponeret per successorem ipsius Honorium in perpetuum facere roborari, huiusmodi fuit a Deo revelatione commonitus. 
2 Videbatur quidem sibi de terra micas panum subtilissimas collegisse multisque famelicis fratribus ipsum circumstantibus debere tribuere. 
3 Cumque micas tam tenues distribuere formidaret, ne forte inter manus exciderent; vox ei desuper ait: ”Francisce, unam de micis omnibus hostiam facito et manducare volentibus tribue”. 
4 Quo id agente, quicumque illud non devote recipiebant, aut receptum contemnebant donum, mox lepra infecti notabiles apparebant. 
5 Recitat mane vir sanctus haec omnia sociis, dolens, se non percipere mysterium visionis (cfr. Dan 2,19). 
6 Sequenti vero die, cum vigil in oratione persisteret (cfr. Tob 3,11), huiuscemodi vocem de caelo delapsam (cfr. 2Pet 1,17) audivit:” Francisce, micae praeteritae noctis verba evangelica sunt, hostia regula, lepra iniquitas”. 
7 Volens igitur confirmandam Regulam ex verborum Evangelii aggregatione profusius traditam ad compendiosiorem formam, iuxta quod dictabat visto monstrata, redigere, in montem quemdam cum duobus sociis, Spiritu sancto ducente, conscendit, ubi pane tantum contentus et aqua, ieiunans, conscribi eam fecit, secundum quod oranti sibi divinus Spiritus suggerebat. 
8 Quam cum, de monte descendens, servandam suo vicario commisisset, et ille, paucis elapsis diebus, assereret per incuriam perditam, iterato sanctus vir ad locum solitudinis rediit eamque instar prioris, ac si ex ore Dei verba susciperet, illico reparavit et per supradictum dominum Papam Honorium, octavo pontificatus illius anno, sicut optaverat, obtinuit confirmari. 
9 Ad cuius observantiam fratres ferventer inducens, dicebat, se nihil ibi posuisse secundum industriam propriam, sed omnia sic scribi fecisse, sicut sibi fuerant divinitus revelata. 
10 Quod ut certius constaret testimonio Dei, paucis admodum evolutis diebus, impressa sunt ei stigmata Domini Iesu (cfr. Gal 6,17) digito Dei vivi (cfr. Apoc 7,2) tamquam bulla summi Pontificis Christi ad confirmationem omnimodam regulae et commendationem auctoris, sicut post suarum enarrationem virtutum suo loco inferius describetur.

TEXTO TRADUZIDO

Legenda Maior - IV,11

11 
1 Quando a Ordem já estava expandida, quis que a forma de vida aprovada pelo senhor Inocêncio fosse confirmada para sempre por seu sucessor Honório, pois foi animado para isso por uma revelação de Deus.
2 Parecia-lhe que estava recolhendo da terra migalhinhas de pão muito miúdas, que tinha que dar a muitos frades esfomeados que estavam ao seu redor. 
3 Como ficou com medo de distribuir migalhas tão pequenas, que poderiam cair das mãos, disse-lhe uma voz do alto: “Francisco, faz uma hóstia só com as migalhas e dá aos que quiserem comer”. 
4 Quando fez isso, cada um que não a recebia devotamente ou, depois de receber, desprezava o dom, logo ficava marcado pela lepra. 
5 De manhã, o homem santo contou tudo isso aos companheiros, condoído porque não percebia o mistério da visão. 
6 Mas no dia seguinte, como insistia vigilante na oração, ouviu uma voz do céu que lhe dizia assim: “Francisco, as migalhas da noite passada são as palavras evangélicas, a hóstia é a regra, a lepra é a iniquidade”. 
7 Querendo, por isso, redigir a Regra para ser confirmada numa forma mais abreviada, de acordo com o que dissera a visão, pois ficara muito extensa pelo acréscimo de citações evangélicas, foi levado pelo Espírito Santo e subiu a um monte com dois companheiros. Lá, jejuando, contente só com pão e água, fez com que fosse escrita conforme o Espírito Santo sugeria ao orante. 
8 Quando desceu do monte, entregou-a ao seu vigário para que a guardasse mas ele, poucos dias depois, disse que tinha sido perdida por descuido. Então o homem santo voltou ao lugar solitário e logo tornou a faze-la como a anterior, como se recebesse as palavras da boca de Deus. E conseguiu que fosse confirmada, como desejara, pelo supradito senhor papa Honório, no oitavo ano de seu pontificado. 
9 Quando exortava fervorosamente os frades a observá-la, dizia que nada tinha colocado de sua cabeça, mas fizera escreve-la como fora divinamente revelada. 
10 E para que isso constasse mais certamente pelo testemunho de Deus, poucos dias depois foram-lhe impressos os estigmas do Senhor Jesus pelo dedo do Deus vivo, como se fossem uma bula do sumo pontífice de Cristo, para plena confirmação da Regra e recomendação de seu autor, como vai ser dito em seu lugar, mais adiante, depois de falarmos de suas virtudes.