LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • São Boaventura
  • Legenda Maior

TEXTO ORIGINAL

Legenda Maior - V,2


1 Interrogatus aliquando, quomodo vestitu tam tenui se posset ab hiemalis algoris asperitate tueri, in spiritus fervore respondit: ”Si supernae patriae flamma per desiderium contingeremur interius, frigus istud exterius facile portaremus”. 
2 Vestis horrebat mollitiem, asperitatem amabat, asserens, propter hoc Ioannem Baptistam ore divino fuisse laudatum. 
3 Si quando vero in data sibi tunica lenitatem sentires, chordulis eam contexebat interius, quia non in casulis pauperum, sed in palatiis principum, iuxta Veritatis verbum vestimentorum dicebat requirendam esse mollitiem. 
4 Experientia enim certa didicerat, daemones asperitate terreri, deliciosis autem et mollibus ad tentandum fortius animari. 
5 Unde cum nocte quadam propter infirmitatem capitis et oculorum, praeter solitum morem cervical de pluma positum haberet ad caput, daemon in illud ingressus, ipsum usque ad horam matutinalem inquietatum multimode a sanctae orationis studio perturbavit, donec, vocato socio, pulvinar cum daemonio fecit extra cellulam longius exportari. 
6 Egressus autem cum pulvinari frater de cella, membrorum omnium vires amisit et usum, quousque ad vocem sancti patris hoc cognoscentis in spiritu, vigor pristinus cordis et corporis sibi fuit plenarie restitutus.

TEXTO TRADUZIDO

Legenda Maior - V,2


1 Quando lhe perguntaram, uma vez, como podia defender-se do rigor do frio inverno com uma roupa tão escassa, respondeu com fervor de espírito: “Se tivéssemos por dentro a chama do desejo da pátria eterna, suportaríamos com facilidade esse frio de fora”. 
2 Tinha horror a roupas macias, gostava da asperidade, afirmando que por isso João Batista foi louvado pela boca divina. 
3 Se alguma vez sentia algo mais macio na túnica que lhe haviam dado, costurava umas cordinhas por dentro, porque dizia que não era nas cabanas dos pobres mas nos palácios dos príncipes que se deviam buscar tecidos macios, de acordo com a palavra da Verdade. 
4 Pois aprendera por experiência que os demônios se aterrorizavam com a aspereza, mas se animavam para tentar mais fortemente aos que estão nas delícias e na moleza. 
5 Por isso, como certa noite por causa da doença da cabeça e dos olhos, fora do seu costume, estava com a cabeça em um travesseiro de penas, um demônio que entrou nele e o perturbou até de manhã, inquietando-o muito no esforço da santa oração, até que, chamando um companheiro, mandou levar para longe da cela o travesseiro com o demônio. 
6 Quando o frade saiu da cela com o travesseiro, perdeu as forças e o uso de todos os membros até que, ouvindo a voz do santo pai, que soube disso em espírito, conseguiu a devolução completa do vigor do coração e do corpo.