LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • São Boaventura
  • Legenda Maior

TEXTO ORIGINAL

Legenda Maior - VII,3

3 
1 Docebat proinde, sicut revelatione didicerat, sacrae religionis ingressum ab illo fore inchoandum evangelico verbo: Si vis perfectus esse, vade, vende omnia, quae habes, et da pauperibud (Mat 19,21); 
2 ideoque nonnisi expropriatos et nihil penitus retinentes admittebat ad Ordinem, tum propter verbum sancti Evangelii, tum etiam ne forent in scandalum loculi reservati. 
3 Unde in Marchia Anconitana cuidam petendi ad Ordinem recipi verus pauperum patriarcha respondit: ”Si vis Christi pauperibus iungi, mundi pauperibus tua distribue!”. 
4 Quo audito perrexit homo, et ductus amore carnali, sua suis reliquit, nilque pauperibus. 
5 Verum cum haec, illo referente, vir sanctus audisset, dura eum increpatione feriens, dixit: ”Vade viam tuam, frater musca, quoniam nondum existi de domo et cognatione tua (cfr. Gen 12,1). 
6 Consanguineis tuis tua dedisti et defraudasti pauperes, dignus non es pauperibus sanctis. 
7 Incepisti a carne, ruinosum fundamentum spirituali fabricae collocasti”. 
8 Rediit animalis homo (cfr. 1Cor 2,14) ad suos et repetiit sua, quae pauperibus relinquere nolens, virtutis propositùm citius dereliquit.

TEXTO TRADUZIDO

Legenda Maior - VII,3

3 
1 Por isso ensinava, como tinha aprendido por revelação, que a entrada na sagrada religião devia começar com aquela frase evangélica: Se queres ser perfeito, vá, venda tudo que tens e dá-o aos pobres (Mt 19,21);. 
2 Só admitia à Ordem os que tinham se expropriado e que não tinham ficado com nada absolutamente, tanto por causa da palavra do santo Evangelho quanto para não serem escândalo de ter bolsa à parte. 
3 Na Marca de Ancona, o verdadeiro patriarca dos pobres respondeu a alguém que pedia para ser recebido na Ordem: “Se queres te unir aos pobres de Cristo, distribue o que é teu aos pobres do mundo!”. 
4 Ouvindo isso, o homem carnal foi e, levado pelo amor carnal, deixou suas coisas para os seus, nada para os pobres. 
5 Quando o santo soube disso, porque ele contou, reprendendo-o duramente, disse; “Pega o teu caminho, irmão mosca, porque ainda não saíste de tua casa e de tua parentela” (cfr. Gn 12,1). 
6 Deste aos teus consaguíneos e defraudaste os pobres; não és digno dos pobres santos. 
7 Começaste na carne e colocaste para a tua edificação espiritual um alicerce ruinoso”. 
8 Voltou o homem animal aos seus e pediu de volta o que era dele, que tinha recusado dar para os pobres; e bem depressa deixou o propósito de virtude.