LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Legenda Maior - VII,4

    4 
    1 Alio quoque tempore, cum in loco Sanctae Mariae de Portiuncula tanta esset inopia, quod non posset hospitibus fratribus supervenientibus secundum necessitatis exigentiam provideri: adiit virum Dei vicarius suus, 
    2 allegans penuriam fratrum et petens, ut intrantium novitiorum res aliquas reservare liceret, ad quas expendendas recurrere possent fratres tempore opportuno (cfr. Ps 144,15). 
    3 Ad quem vir superni consilii non ignarus: “Absit”, inquit, “a nobis, frater carissime, ut pro quovis homine impie agamus in regulam. 
    4 Malo te altare Virginis gloriosae nudare, cum necessitas id requirit, quam contra paupertatis votum et observantiam Evangelii aliquid vel modicum attentare. 
    5 Gratius enim habebit Virgo beata, sancti Evangelii perfecte servato concilio, suum altare detegi, quam altari vestito, Filii sui promissum consilium praetermitti”.

    TEXTO TRADUZIDO

    Legenda Maior - VII,4

    4 
    1 Numa outra ocasião, como havia tanta escassez no lugar de Santa Maria da Porciúncula, que não podiam providenciar de acordo com a exigência da necessidade aos frades hóspedes que chegavam, o vigário foi falar com o homem de Deus. 
    2 Alegou a penúria dos frades e pediu que fosse lícito reservar algumas coisas dos noviços que entravam, de modo que os frades pudessem recorrer a elas, gastando-as no tempo oportuno. 
    3 O homem, que não ignorava o conselho superno, disse-lhe: “Longe de nós, irmão caríssimo que, por quem quer que seja, ajamos impiamente contra a Regra. 
    4 Prefiro que dispas o altar da Virgem gloriosa, quando a necessidade o exigir, do que atentar, por pouco que seja contra o voto de pobreza e a observância do Evangelho. 
    5 Pois a Virgem bem-aventurada vai ficar mais contente se o seu altar for descoberto para que se observe perfeitamente o conselho evangélico do que, se o altar ficar revestido mas deixarmos de lado o conselho que prometemos a seu Filho”.