LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • São Boaventura
  • Legenda Maior

TEXTO ORIGINAL

Legenda Maior - IX,1

Caput IX - De fervore caritatis et desiderio martyrii. 

1 
1 Caritatem ferventem, qua Sponsi amicus Franciscus ardebat, quis enarrare sufficiat (cfr. Sir 18,2)? 
2 Totus namque quasi quidem carbo ignitus divini amoris flamma videbatur absorptus. 
3 Subito enim ad auditum amoris Domini excitabatur, afficiebatur, inflammabatur, quasi plectro vocis extrinsecae chorda cordis interior tangeretur. 
4 Talem pro eleemosynis censum offerre nobilem prodigalitatem dicebat, et eos qui minus ipsum quam denarios reputarent, esse stultissimos, 
5 pro eo quod solius divini amoris impretiabile pretium ad regnum caelorum sufficiat comparandum, et eius qui nos multum amavit, multum sit amor amandus. 
6 Ut autem ex omnibus excitaretur ad amorem divinum, exsultabat in cunctis operibus manuum (cfr. Ps 91,5) Domini et per iucunditatis spectacula in vivificam consurgebat rationem et causam. 
7 Contuebatur in pulchris Pulcherrimum et per impressa rebus vestigia prosequebatur (cfr. Iob 23,11) ubique Dilectum, de omnibus sibi scalam faciens, per quam conscenderet ad apprehendendum eum qui est desiderabilis totus (cfr. Cant 5,16; Gen 28,12). 
8 Inauditae namque devotionis affectu fontalem illam bonitatem in creaturis singulis tamquam in rivulis degustabat, 
9 et quasi caelestem concentum perciperet in consonantia virtutum et actuum eis datorum a Deo, ipsas ad laudem Domini (cfr. Ps 148,1) more prophetae David dulciter hortabatur.

TEXTO TRADUZIDO

Legenda Maior - IX,1

Capítulo 9 – Sobre o fervor da caridade e o desejo do martírio. 

1 
1 Quem seria capaz de contar a caridade fervente em que ardia Francisco, o amigo do Esposo? 
2 Pois ele todo, como uma brasa ardente, parecia absorvido pela chama do amor divino. 
3 Pois, quando ouvia falar no amor do Senhor, imediatamente se empolgava, ficava afetado, inflamado, como se com o som da voz de fora fosse tocada a corda interior do coração. 
4 Dizia que era uma nobre prodigalidade oferecer tal censo de amor, e os que o reputavam menos do que o dinheiro eram estultíssimos, 
5 porque o inapreciável valor do amo de Deus basta para adquirir o reino dos céus e porque muito há de ser amado o amor daquele que tanto nos amou. 
6 Mas para que todas as criaturas o impelissem ao amor divino, exultava em todas as obras das mãos do Senhor e pelos espetáculos da alegria elevava-se à razão e causa de todos os seres. 
7 Enxergava nas coisas bonitas Aquele que é toda Beleza e buscava por toda parte o Amado pelos vestígios impressos nas coisas, fazendo de todas as coisas uma escada para subir à apreensão daquele que é todo desejável. 
8 Pois pelo afeto de sua devoção inaudita, saboreava aquela bondade que há em cada criatura como em torrentes, 
9 e percebia como que um concerto na consonância das virtudes e dos atos dados a eles por Deus, e exortando-os docemente ao louvor do Senhor como fazia o profeta Davi.