LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Legenda Maior - X,6

    6 
    1 Solitus erat vir sanctus horas canonicas non minus timorate Deo persolvere quam devote. 
    2 Nam licet oculorum, stomachi, splenis et hepatis aegritudine laboraret, nolebat tamen muro vel parieti inhaerere, dum psalleret, sed horas semper erectus et sine caputio, non gyrovagis oculis, non cum aliqua syncopa persolvebat. 
    3 Si quando esset in itinere constitutus, figebat tunc temporis gressum, huiusmodi consuetudinem reverentem et sacram propter pluviarum inundantiam non omittens. 
    4 Dicebat enim: ”Si quiete comedit corpus cibum suum, futurum cum ipso vermium esca, cum quanta pace ac tranquillitate accipere debet anima cibum vitae?”. 
    5 Graviter etiam se putabat offendere, si quando orationi deditus, vanis phantasmatibus interius vagaretur. 
    6 Cum aliquid tale accideret, non parcebat confessioni, quin illud protinus expiaret. 
    7 Hoc studium sic in usum converterat, ut rarissime muscas huiuscemodi pateretur. 
    8 Fecerat in quadragesima quadam vasculum unum, ut minutias temporis, ne omnino exciderent, occuparet. 
    9 Quod cum dicenti Tertiam in memoriam veniens, paululum ipsius animum distraxisset: motus fervore spiritus, vasculum igne consumpsit, dicens: ”Sacrificabo illud Domino (cfr. Ps 53,8), cuius sacrificium impedivit”. 
    10 Psalmos cum tanta mentis et spiritus attentione dicebat, quasi Deum praesentem haberet; 
    11 et cum nomen Domini in ipsis occurreret, prae suavitatis dulcedine labia sua lingere videbatur. 
    12 Ipsum quoque Domini nomen non solum cogitatum, verum etiam prolatum et scriptum, reverentia volens honorificare praecipua, fratribus persuasit aliquando, ut omnes schedulas scriptas, ubicumque repertas colligerent mundoque loco reponerent, ne forte sacrum illud nomen ibi scriptum contingeret conculcari. 
    13 Nomen autem Iesu cum exprimeret vel audiret, jubilo quodam repletus interius, totus videbatur exterius alterari ac si mellifluus sapor gustum, vel harmonicus sonus ipsius immutasset auditum

    TEXTO TRADUZIDO

    Legenda Maior - X,6

    6 
    1 O homem santo costumava prestar a Deus as horas canônicas com não menor reverência que devoção. 
    2 Pois embora sofresse doenças dos olhos, do estômago, do baço e do fígado, não queria encostar-se no muro ou na parede quando salmodiava, mas rezava as horas sempre em pé, sem capuz, sem ficar girando os olhos e sem nenhuma interrupção. 
    3 Se alguma vez estava viajando, parava de andar nesse tempo, e não omitia esse costume reverente e sagrado mesmo sob chuva pesada. 
    4 Pois dizia: “Se o corpo come com sossego o seu alimento, que vai virar com ele pasto dos vermes, com quanta paz a tranqüilidade deve a alma receber o alimento da vida?”. 
    5 Também achava que estava faltando gravemente se, no tempo em que estava entregue à oração, se distraísse interiormente por vãs imaginações. 
    6 Quando acontecia alguma coisa dessas, não poupava uma confissão, para expiar logo a culpa. 
    7 Tinha transformado esse esforço em prática, de modo que era raríssimo que sofresse com essas moscas. 
    8 Numa quaresma tinha feito uma pequena gamela, para ocupar até as frações de tempos, sem perdê-las. 
    9 Como, ao dizer Tércia, lembrou-se dela, distraindo um pouco a sua atenção, levado pelo fervor do espírito queimou-a no fogo dizendo: “Vou sacrificá-la ao Senhor, porque impediu o seu sacrifício”. 
    10 Dizia os Salmos com tanta atenção da mente e do espírito como se tivesse Deus presente. 
    11 E quando aparecia neles o nome do Senhor, parecia que lambia os lábios pela suavidade de sua doçura. 
    12 Querendo honrar com a maior reverência o nome do Senhor, não só pensado mas também pronunciado e escrito, persuadiu certa vez os frades que recolhessem qualquer folha escrita, onde quer que as encontrassem, e a guardassem em um lugar limpo, para que não acontecesse de alguém pisar naquele sagrado nome, nela escrito. 
    13 Mas quando falava ou ouvia o nome de Jesus, repleto de um júbilo interior, parecia que se mudava todo exteriormente como se tivesse provado o gosto de um sabor melífluo ou se um som harmônico atingisse o seu ouvido.