LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Legenda Maior - XI,10

    10 
    1 Frater quidam erat, quantum a foris videbatur, sanctitate praeclarus, conversatione insignis, tamen admodum singularis. 
    2 Omni tempore orationi vacans (cfr. 1Cor 7,5), tanta districtione silentium observabat quod consueverat non verbis, sed nutibus confiteri. 
    3 Accidit autem, sanctum patrem venire ad locum, videre fratrem et de ipso cum aliis fratribus habere sermonem. 
    4 Commendantibus autem omnibus et magnificantibus cfr. Luc 4,15) illum respondit vir Dei: ”Sinite, fratres, ne mihi in eo diabolica figmenta laudetis. 
    5 In veritate sciatis (cfr. Mat 22,16) quod diabolica tentatio est et deceptio fraudulenta”. 
    6 Dure acceperunt hoc (cfr. Gen 21,11) fratres, tamquam impossibile iudicantes, quod tot perfectionis indiciis fraudis se commenta fucarent. 
    7 Verum non post multos dies (cfr. Luc 15,13), eo religionem egresso, evidenter apparuit, quanta luculentia interioris contuitus vir Dei cordis eius secreta perspexit. 
    8 Multorum quoque per hunc modum, qui stare videbantur (cfr. 1Cor 10,12), ruinam, sed et plurium perversorum conversionem ad Christum immobili veritate praenuntians, appropinquasse videbatur ad aeternae lucis speculum (cfr. Sap 7,26) contemplandum, cuius fulgore mirabili absentia corporaliter, tamquam si essent praesentia, mentis eius cernebat obtutus.

    TEXTO TRADUZIDO

    Legenda Maior - XI,10

    10 
    1 Havia um frade que, a julgar pelas aparências, era preclaro na santidade, insigne pelo comportamento mas bastante estranho. 
    2 Ficava o tempo todo em oração e observava um silêncio tão estrito que se acostumara a confessar-se por gestos e não por palavras. 
    3 Aconteceu que o santo pai foi ao lugar, viu o frade e falou sobre ele com os outros frades. 
    4 Pois enquanto todos o recomendavam e louvavam, respondeu o homem de Deus: “Parai, irmãos, não me louveis nele os fingimentos diabólicos. 
    5 Ficai sabendo, na verdade, que é uma tentação diabólica e um engano fraudulento”. 
    6 Os irmãos receberam isso com dureza, julgando impossível que em tantos sinais de perfeição estivesse disfarçada a presença da fraude. 
    7 Mas, como não muitos dias depois ele saiu da religião, apareceu com evidência com quanta perspicácia interior o homem de Deus enxergou os segredos de seu coração. 
    8 Por esse modo, anunciando previamente com toda a certeza a ruína de muitos que pareciam estar firmes na virtude, como também a conversão a Cristo de numerosos pecadores, parecia que contemplava de perto o espelho da luz eterna, por cujo fulgor admirável seu olhar interior via as coisas ausentes como se estivessem presentes.