LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • São Boaventura
  • Legenda Maior

TEXTO ORIGINAL

Legenda Maior - XII,2

2 
1 Non erubescebat a minoribus parva quaerere verus Minor, qui magna didicerat a Magistro supremo. 
2 Studio namque praecipno solitus erat exquirere; quali via qualique modo Deo posset secundum ipsius beneplacitum perfectius deservire. 
3 Haec summa eius philosophia, hoc summum eius desiderium exstitit, quoad vixit, ut quaereret a sapientibus et simplicibus, perfectis et imperfectis, parvulis et grandaevis, qualiter ad perfectionis culmen virtuosius pervenire valeret. 
4 Assumens itaque duos ex fratribus, misit ad fratrem Silvestrum, qui crucem egredientem viderat de ore ipsius et tunc in monte supra Assisium iugiter orationi vacabat, ut divinum super dubitatione huiusmodi responsum perquireret, quod sibi ex parte Domini demandaret. 
5 Hoc ipsum mandavit sacrae virgini Clarae, ut per aliquam puriorem et simpliciorem de virginibus sub ipsius disciplina degentibus, et ipsa cum sororibus aliis orans, super hoc exquireret Domini voluntatem (cfr. Luc 12,47). 
6 Concordaverunt autem mirabiliter in id ipsum, superno eis revelante Spiritu, venerabilis sacerdos et virgo Deo dicata, beneplaciti scilicet esse divini, quod Christi praeco ad predicandum exiret. 
7 Revertentibus itaque fratribus et Dei, iuxta quod acceperant, indicantibus voluntatem, exsurgens continuo succinxit se (cfr. Ioa 21,7), nullaque prorsus contracta mora, iter aggressus est. 
8 Ibat autem cum tanto fervore, ut divinum exsequeretur imperium, tamque celeriter percurrebat, ac si, facta manu Domini super eum (cfr. Ez 1,3; 4Re 3,15), novam induisset e caelo virtutem.

TEXTO TRADUZIDO

Legenda Maior - XII,2

2 
1 Verdadeiro menor, que tinha aprendido coisas grandes do Mestre supremo, não se envergonhava de perguntar coisas pequenas aos menores. 
2 Pois procurava buscar com o principal esforço por que caminho e de que modo poderia servir mais perfeitamente a Deus segundo o seu beneplácito. 
3 Essa era a sua maior filosofia, esse era o seu maior desejo, enquanto viveu: perguntar aos sábios e aos simples, aos perfeitos e aos imperfeitos, aos pequenos e aos idosos, como poderia chegar mais virtuosamente o cume da perfeição. 
4 Chamando dois frades, mandou-os a Frei Silvestre, aquele que vira uma cruz saindo de sua boca, e nessa ocasião estava continuamente entregue à oração em um monte junto de Assis, para que obtivesse uma resposta divina sobre essa dúvida: o que lhe era pedido da parte do Senhor. 
5 Isso mesmo mandou à sagrada virgem Clara, que por alguma mais pura e simples das virgens que moravam sob sua disciplina, e ela rezando com as outras irmãs, procurasse saber a vontade de Deus sobre isso. 
6 Por revelação do Espírito superno, concordaram na resposta o venerável sacerdote e a virgem consagrada a Deus, isto é, que a vontade divina era que o pregoeiro de Cristo saísse a pregar. 
7 Por isso, quando os frades voltaram e indicaram a vontade de Deus, conforme o que tinham recebido, ele se levantou na mesma hora, cingiu-se e sem nenhuma demora pôs-se a caminho. 
8 E ia com tanto fervor, para cumprir o mandato de Deus, e andava tão rapidamente como se tivesse sido revestido de uma nova virtude do céu porque a mão de Deus descera sobre ele.