LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Legenda Maior - XII,6

    6 
    1 Alio quoque tempore cum famulus Dei Gaietae semel in maris littore praedicaret, turbis prae devotione irruentibus (cfr. Luc 5,1), ut eum contingerent, horrens Christi servus tantum populorum applausum, in unam haerentem littori naviculam prosiliit solus. 
    2 Illa vero tamquam si rationis participe motore moveretur intrinseco, sine aliquo remige, cernentibus et mirantibus cunctis, se longius a terra protraxit. 
    3 Cum autem aliquanto spatio in maris altitudinem secessisset, stetit inter fluctus immobilis, quamdiu vir sanctus turbis exspectantibus in littore praedicavit. 
    4 Cumque audito sermone et viso miraculo ac benedictione accepta, multitudo cederet, ne ipsum amplius molestaret, navicula proprio ductu ad terram reversa est. 
    5 Quis igitur tam obstinatae mentis esset et impiae, quod praedicationem Francisci contemneret, cuius miranda fiebat virtute, ut non solum carentia ratione disciplinam susciperent, verum etiam inanimata corpora tamquam animata praedicanti servirent?

    TEXTO TRADUZIDO

    Legenda Maior - XII,6

    6 
    1 Em outra ocasião, quando o homem de Deus pregava em Gaeta, na beira do mar, as turbas avançaram por devoção para tocá-lo. O servo de Cristo, horrorizado por tamanho aplauso das pessoas, subiu sozinho em uma barca que estava junto à praia. 
    2 Ela, como se tivesse razão e fosse movida por um motor interno, sem nenhum remeiro, afastou-se da terra diante de todos que viam e estavam admirados. 
    3 Mas quando se afastou até uma certa distância no mar, parou imóvel no meio das ondas enquanto o homem santo pregou às turbas que esperavam na praia. 
    4 Quando a multidão diminuiu, depois de ter ouvido o sermão, visto o milagre e recebida a bênção, e já não o molestava, a barca voltou para a terra por conta própria. 
    5 Quem seria, portanto, de mente tão obstinada e ímpia que desprezasse a pregação de Francisco, cuja virtude admirável fazia não só com que os que carecem de razão recebessem a disciplina, mas até os corpos inanimados servissem como se fossem animados?