LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Legenda Maior - XII,10

    10 
    1 Mulier quaedam civitatis Eugubii ambas contractas et aridas habens manus adeo, ut nihil per illas operari valeret, signo crucis ab eodem in nomine Domini sibi facto, tam perfectam obtinuit sospitatem, quod statim rediens domum, cibos in ministerium eius et pauperum, quasi altera socrus Simonis, propriis manibus praepararet. 
    2 Puellae cuidam in castro Bevanii oculorum privatae luminibus, cum in Trinitatis nomine sputo suo ter ipsius oculos linivisset, lumen concupitum restituit. 
    3 Mulier quaedam civitatis Narnii oculorum caecitate percussa, signum crucis ab eodem suscipiens, lucem recuperavit optatam. 
    4 Bononiae puer quidam unum oculorum macula adeo habens oblectum, ut nihil prorsus videre posset, nec aliquo adiuvari remedio, post signum crucis a capite usque ad pedes per servum Domini sibi factum, visum recuperavit tam limpidum, ut postmodum Ordinem Fratrum Minorum ingressus, se longe clarius videre assereret de oculo prius infirmo quam de oculo semper sano. 
    5 In castro Sancti Gemini servus Dei a quodam devoto viro susceptus hospitio, cuius uxor a daemonio vexabatur (cfr. Mat 15,22), post orationem factam in virtute obedientiae imperavit daemoni, ut exiret, eumque potestate divina tam subito effugavit, ut vere claresceret, quod obedientiae sanctae virtuti pervicacia daemonum non obsistat. 
    6 In Civitate de Castello quidam furibundus et nequam spiritus quamdam obsidens mulierem, a viro sancto obedientiae accepto mandato, indignabundus discessit, mente simul et corpore liberam obsessam prius feminam derelinquens.

    TEXTO TRADUZIDO

    Legenda Maior - XII,10

    10 
    1 Uma mulher de Gúbio tinha as duas mãos contraídas e secas, de modo que não conseguia fazer nada com elas. Ele lhe fez um sinal da cruz em nome do Senhor e ela obteve uma cura tão perfeita que, voltando logo para casa, preparou alimentos para servir a ele e aos pobres, como uma outra sogra de Simão. 
    2 No castro de Bevagna, em nome da Trindade, ungiu três vezes com sua saliva os olhos de uma menina privada da luz do olhos e lhe restituiu a vista, que desejava. 
    3 Uma mulher da cidade de Narni, ferida pela cegueira dos olhos, recebendo dele um sinal da cruz, recebeu a luz que desejava. 
    4 Em Bolonha, um menino tinha um dos olhos tão coberto por uma mancha que não podia enxergar absolutamente nada, nem podia ser ajudado por nenhum remédio. Depois que lhe foi feito um sinal da cruz da cabeça aos pés pelo servo do Senhor, recuperou uma visão tão límpida que, mais tarde, entrou na ordem dos frades menores e afirmava que conseguia enxergar melhor com o olho que tinha sido doente do que com o olho que sempre fora sadio. 
    5 No castro de San Gemini o servo de Deus foi recebido em hospedagem por um homem devoto cuja mulher era atormentada pelo demônio. Depois de fazer uma oração, mandou ao demônio que saísse em virtude da obediência, e o afugentou pelo poder divino tão de repente que verdadeiramente ficou claro que a teimosia dos demônios não resiste à virtude da santa obediência. 
    6 Em Città di Castello, um espírito furibundo e mau que estava obsessionando uma mulher recebeu um mandato de obediência do homem santo e saiu indignado, deixando livre de mente e de corpo a mulher que antes estava obsessa.