LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • São Boaventura
  • Legenda Maior

TEXTO ORIGINAL

Legenda Maior - XIII,8

8 
1 Ipse vero, licet thesaurum inventum in agro (cfr. Mat 13,44) multa diligentia studeret abscondere, latere tamen non potuit, quin aliqui stigmata manuum viderent ac pedum, quamquam manus quasi semper portaret contectas et pedibus ex tunc incederet calceatis. 
2 Viderunt enim, dum viveret, fratres plurimi, qui licet essent propter sanctitatem praecipuam viri per omnia fide digni, tamen ad omne dubium amovendum, sic esse ac se vidisse, tactis sacrosanctis, juramento firmarunt. 
3 Viderunt etiam ex familiaritate, quem cum viro sancto habebant, aliqui cardinales, laudes sacrorum stigmatum prosis et hymnis ac antiphonis, quas ad ipsius ediderunt honorem, veraciter ingerentes, qui tam verbo quem scripto perhibuerunt testimonium ve-ritati (cfr. Ioa 1,7; 5,33). 
4 Summus etiam Pontifex dominus Alexander, cum populo praedicaret coram multis fratribus et me ipso, affirmavit, se, dum Sanctus viveret, stigmata illa sacra suis oculis conspexisse. 
5 Viderunt in morte plus quam quinquaginta fratres virgoque Deo devotissima Clara cum ceteris Sororibus suis et saeculares innumeri, ex quibus quemadmodum suo loco dicetur, quem plurimi et osculati sunt ex devotionis affectu et contrectaverunt manibus (cfr. 1Ioa 1,1) ad testimonii firmitatem. 
6 Vulnus autem lateris tam sollicite occultavit, ut illud nemo posset nisi furtim contueri, dum viveret: 
7 Unus etenim frater, qui ei sedule ministrare solitus erat, cum pia eum cautela, ut ad excutiendum extraheret tunicam, induxisset, attente respiciens vidit plagam, cui etiam tres veloci contactu digitos applicans, tam visu quam tactu vulneris quantitatem agnovit. 
8 Consimili cautela vidit etiam frater ille, qui tunc temporis erat Vicarius eius. 
9 Frater vero socius mirandae simplicitatis, dum infirmitatis causa languentes scapulas contrectaret, manu per caputium missa et casualiter vulneri sacro illapsa, magnum ei dolorem inflixit. 
10 Proinde portabat ex tunc femoralia ita facta, ut usque ad ascellas pertingerent ad vulnus lateris contegendum. 
11 Fratres quoque, qui illa lavabant vel tunicam excutiebant pro tempore, quia inveniebant ea sanguine rubricata, indubitanter per evidens signum in cognitionem sacri vulneris pervenerunt, 
12 quod postmodum in morte revelata facie (cfr. 2Cor 3,18) et ipsi cum aliis plurimis contemplati simul et venerati sunt.

TEXTO TRADUZIDO

Legenda Maior - XIII,8

8 
1 Mas ele mesmo, embora procurasse esconder com muita diligência o tesouro encontrado no campo, não conseguiu impedir que alguns vissem os estigmas das mãos e dos pés, mesmo andando com as mãos sempre cobertas e, desde então, com os pés calçados.
2 Pois, enquanto viveu, muitos frades viram. Embora fossem pessoas dignas de toda confiança por causa de especial santidade, assinaram sob juramento que assim era e assim tinham visto, para tirar qualquer dúvida. 
3 Viram-nas também alguns cardeais, por causa da familiaridade que tinham com o homem santo, os quais, consignando com toda veracidade o fato, enalteceram as sagradas chagas em prosa, em hinos e antífonas que compuseram em honra dele, e deram testemunho da verdade tanto por palavra como por escrito. 
4 Também o senhor Alexandre, sumo pontífice, pregando ao povo diante de muitos frades e de mim mesmo, afirmou que tinha visto com os seus olhos aqueles sagrados estigmas enquanto o santo ainda estava vivo. 
5 Depois de sua morte, viram mais de cinqüenta frades e a virgem Clara, devotíssima a Deus, com suas outras Irmãs e inúmeros seculares, os quais, como se dirá em seu lugar, pelo afeto de sua devoção, tanto beijaram como tocaram com suas próprias mãos as chagas, para confirmar o testemunho. 
6 Mas escondeu tão cuidadosamente a chaga do peito que, enquanto ele viveu, ninguém conseguiu vê-la, a não ser furtivamente. 
7 Pois um frade, que costumava servi-lo cuidadosamente, induziu-o, com piedosa cautela, a tirar a túnica para sacudi-la, e, olhando atentamente, viu a chaga, e chegou a toca-la, pondo rapidamente três dedos; pôde assim perceber, tanto com a vista como com o tato, o tamanho da ferida. 
8 Com a mesma cautela também viu aquele frade que, nesse tempo, era o seu vigário. 
9 Mas um frade que era seu companheiro, de admirável simplicidade, quando estava apertando seus ombros doloridos por causa da doença, enfiou a mão por baixo do capuz e passou-a sem querer pela ferida sagrada, causando-lhe uma grande dor. 
10 Por isso usava, desde então, umas calças feitas de tal jeito que chegavam até às axilas, para cobrir a chaga do lado. 
11 Também os frades que as lavavam ou que sacudiam de vez em quando a sua túnica, encontravam-nas vermelhas de sangue, sem dúvida chegaram ao conhecimento da sagrada chaga pelo sinal evidente, 
12 que depois, na morte, eles e os outros contemplaram e veneraram juntos, então já abertamente.