LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Legenda Maior - XIV,1

    Caput XIV - De patientia ipsius et transitu mortis. 

    1 
    1 Christo igitur iam cruci confixus (cfr. Gal 2,19) Franciscus tam carne quem spiritu, non solum seraphico amore ardebat in Deum, verum etiam sitiebat cum Christo crucifixo multitudinem salvandorum. 
    2 Faciebat proinde, quoniam propter excrescentes in pedibus clavos ambulare non poterat, corpus emortuum per civitates et castella (cfr. Luc 8,1) circumvehi, ut ad crucem Christi ferendam ceteros animaret. 
    3 Fratribus quoque dicebat: ”Incipiamus, fratres, servire Domino Deo nostro, quia usque nunc parum profecimus”. 
    4 Flagrabat etiam desiderio magno ad humilitatis redire primordia, ut leprosis sicut a principio ministraret corpusque iam prae labore collapsum revocaret ad pristinam servitutem. 
    5 Proponebat, Christo duce, se facturum ingentia, et fatiscentibus membris, spiritu fortis et fervidus novo sperabat certamine de hoste triumphum. 
    6 Neque enim languor vel desidia locum habet, ubi amoris stimulus semper ad maiora perurget. 
    7 Tanta autem in eo carnis ad spiritum erat concordia, tanta obedientiae promptitudo, quod cum ille ad omnem niteretur sanctitatem pertingere, ipsa non solum non repugnaret, sed et praecurrere conaretur.

    TEXTO TRADUZIDO

    Legenda Maior - XIV,1

    Capítulo 14 – Sobre sua paciência e sobre a passagem da morte. 

    1 
    1 Francisco, já pregado na cruz, tanto na carne como no espírito, não só ardia em amor seráfico por Deus, mas também, com o Cristo crucificado, tinha sede da multidão dos que se hão de salvar. 
    2 Por isso fazia com que carregassem seu corpo quase morto pelas cidades e castelos -- pois não podia andar por causa da excrescência dos cravos nos pés -- para animar os outros a carregarem a cruz de Cristo. 
    3 Também dizia aos frades: “Comecemos, irmãos, a servir ao Senhor nosso Deus, porque até agora pouco adiantamos”. 
    4 Também ardia num grande desejo de voltar à humildade dos primórdios, para servir aos leprosos como no começo, e para fazer voltar à primitiva servidão o corpo já derrubado pelo trabalho. 
    5 Propunha-se, sob a orientação de Cristo, fazer grandes coisas e, enfraquecido nos membros mas forte e fervoroso no espírito, esperava obter um triunfo do inimigo em um novo combate. 
    6 Pois a frouxidão e a preguiça também não têm lugar onde o estímulo do amor urge sempre para coisas maiores. 
    7 Pois era tão grande nele a concórdia entre a carne e o espírito, tanta a prontidão da obediência, que quando ele se esforçava por atingir toda a santidade, a carne não só não se opunha como lutava para correr na frente.