LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • São Boaventura
  • Legenda Maior

TEXTO ORIGINAL

Legenda Maior - XIV,3

3 
1 Cum itaque per biennium ab impressione sacrorum stigmatum, anno videlicet a sua conversione vigesimo, multis fuisset angustiantium infirmitatum probativis tunsionibus conquadratus, tamquam lapis in supernae Ierusalem aedificio collocandus et tamquam ductile opus sub multiplicis tribulationis malleo ad perfectionem adductus, ad Sanctam Mariam de Portinacula se portari poposcit, quatenus, ubi acceperat spiritum gratiae (cfr. Heb 10,29), ibi redderet spiritum vitae (cfr. Gen 6,17). 
2 Quo cum fuisset perductus, ut Veritatis exemplo monstraret, quod nihil erat illi commune cum mundo, in illa infirmitate tam gravi, quae omni languori conclusit, super nudam humum se totum nudatum in spiritus fervore prostravit, quatenus hora illa extrema, in qua poterat adhuc hostis irasci, nudus luctaretur cum nudo.
3 Decubans sic in terra, saccina veste deposita, faciem solito more levavit in caelum (cfr. Iob 11,15), et intendens illi gloriae (cfr. Act 7,55) totus, manu sinistra dextri lateris vulnus, ne videretur, obtexit. 
4 Et ait ad fratres: ”Ego quod meum est feci (cfr. 3Re 19,20); quod vestrum est Christus edoceat”.

TEXTO TRADUZIDO

Legenda Maior - XIV,3

3 
1 Então, dois anos depois da impressão dos sagrados estigmas, isto é, no vigésimo ano de sua conversão, como estivesse esquadrejado por muitos golpes das angustiosas doenças que o punham à prova, pediu que fosse levado para Santa Maria da Porciúncula, como uma pedra que devia ser colocada no edifício da superna Jerusalém e como uma obra maleável levada à perfeição pelo martelo de múltiplas tribulações, de modo que, onde tinha recebido o espírito da graça, aí entregasse o espírito da vida. 
2 Quando foi levado para lá, para mostrar com o exemplo da verdade que nele não havia nada em comum com o mundo, naquela enfermidade tão grave que terminou todos os sofrimentos, com fervor de espírito prostrou-se completamente nu sobre o chão nu, de modo que naquela hora suprema, em que ainda podia irritar o inimigo, nu lutasse com o nu. 
3 Prostrado assim no chão, tendo tirado a roupa de saco, elevou o rosto ao céu como costumava e, todo atento à sua glória, cobriu com a mão esquerda a chaga do lado direito, para que não fosse vista. 
4 E disse aos frades: “Fiz o que me cabia; que Cristo vos ensine o que cabe a vós”.