LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • São Boaventura
  • Legenda Maior

TEXTO ORIGINAL

Legenda Maior - XV,1

Caput XV - De canonizatione et translatione ipsius. 

1 
1 Franciscus igitur, servus et amicus Altissimi, Ordinis Minorum Fratrum institutor et dux, paupertatis professor, poenitentiae forma, veritatis praeco, sanctitatis speculum et totius evangelicae perfectionis exemplar, superna praeventus gratia, ordinato progressu ab infimis pervenit ad summa. 
2 Hunc virum mirabilem, utpote paupertate praedivitem, humilitate sublimem, mortificatione vividum, simplicitate prudentem omnique morum honestate conspicuum, quem in vita Dominus mirabiliter effecerat clarum, in morte fecit incomparabiliter clariorem. 
3 Beato namque viro migrante a saeculo, spiritus ille sacer domum aeternitatis ingrediens fontisque vitae (cfr. Qo 12,5; Ps 35,10) haustu plenario gloriosus effectus, expressa quaedam in corpore futurae gloriae (cfr. Rom 8,18) signa reliquit, 
4 ut caro illa sanctissima, quae crucifixa cum vitiis in novam iam creaturam transierat (cfr. Gal 5,24; 2Cor 5,17), et passionis Christi effigiem privilegii singularitate praeferret et novitate miraculi resurrectionis speciem praemonstraret.

TEXTO TRADUZIDO

Legenda Maior - XV,1

Capítulo 15 — Sobre a sua canonização e translação.

1 
1 Francisco, servo e amigo do Altíssimo, fundador e condutor da Ordem dos Frades Menores, praticante da pobreza, exemplo de penitência, pregador da verdade, espelho da santidade e exemplo de toda perfeição evangélica, tendo recebido primeiro a graça divina, fez um progresso ordenado, chegando das coisas mais ínfimas às mais sumas. 
2 Na morte, Deus tornou incomparavelmente mais claro este homem admirável que Ele fizera admiravelmente claro na vida, mais do que rico na pobreza, sublime na humildade, vívido na mortificação, prudente na simplicidade, respeitável por toda honestidade de costumes. 
3 Pois, quando o homem bem-aventurado emigrou deste mundo, e aquele espírito sagrado entrou na casa da eternidade, tornando-se glorioso por beber da fonte da vida, deixou expressos em seu corpo alguns sinais da glória futura, 
4 de modo que aquela carne santíssima, que, crucificada com os vícios, já passara a ser uma nova criatura, apresentou a imagem da paixão de Cristo, por um singular privilégio, mas também, pela novidade do milagre, deu uma demonstração prévia da ressurreição.