LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Legenda Maior - Miraculis I,1

    Incipiunt quaedam de miraculis ipsius post mortem ostensis. 

    I - Et primo de virtutibus sacrorum stigmatum. 

    1 

    1 Ad omnipotentis Dei honorem, et gloriam Beati Patris Francisci post glorificationem ipsius in caelis, aliqua ex approbatis conscripturus miracula, ab illo praecipue censui sumendum fore initium, in quo crucis Iesu virtus ostenditur et gloria innovatur. 
    2 Novus igitur homo Franciscus novo et stupendo miraculo claruit, cum singulari privilegio retroactis saeculis non concesso, insignitus apparuit, sacris videlicet stigmatibus decoratus et configuratus in corpore mortis huius (cfr. Phip 3,10; Rom 7,24) corpori Crucifixi. 
    3 De quo quidquid humana lingua dicatur, minus erit a laude condigna. 
    4 Totum quidem viri Dei studium, tam publicum quam privatum, circa crucem Domini versabatur; 
    5 et ut crucis signaculo cordi eius a principio suae conversionis impresso corpus consignaret exterius, in ipsa se cruce recludens, habitum poenitentiae sumpsit crucis imaginem praeferentem, 
    6 quatenus, sicut mens eius intus Dominum crucifixum induerat, sic et corpus eius indueret arma crucis, et in quo signo Deus potestates aereas debellarat, in eodem suus exercitus Domino militaret. 
    7 Sed et a principio temporis, quo Crucifixo militare coeperat, diversa circa eum crucis praefulsere mysteria, sicut vitae ipsius consideranti decursum clarius innotescit: 
    8 qualiter apparitione crucis dominicae septiformi tam cogitatu quem affectu et actu totus fuit in Crucifixi effigiem per ipsius ecstaticum transformatus amorem. 
    9 Digne igitur summi Regis clementia suis amatoribus ultra omnem aestimationem hominum condescendens, suae crucis vexillum ipsius corpori deferendum impressit, ut qui mirando fuerat crucis amore praeventus, mirando etiam fieret crucis honore mirificus.

    TEXTO TRADUZIDO

    Legenda Maior - Milagres I,1

    Começam alguns de seus milagres manifestados depois da morte. 

    I – E em primeiro lugar sobre as virtudes dos sagrados estigmas. 

    1 
    1 Estando para narrar, para honra de Deus Onipotente e para glória do bem-aventurado pai Francisco alguns dos milagres aprovados, que realizou depois de sua glorificação no céu, julguei que devia começar por aquele que, principalmente, demonstra a virtude da cruz de Jesus e renova sua glória. 
    2 Porque este homem novo, Francisco, brilhou por um novo e estupendo milagre, pois apareceu marcado por um singular privilégio não concedido aos séculos passados, pois foi ornado com os sagrados estigmas e, em seu corpo desta morte, foi configurado ao corpo do Crucificado. 
    3 Sobre isto, tudo que for dito por língua humana, será sempre menos do que o louvor que merece. 
    4 Pois todo o esforço do homem de Deus, tanto em público como em particular, centralizava-se na cruz do Senhor. 
    5 E para que o sinal da cruz, impresso em seu coração desde o começo de sua conversão, marcasse seu corpo exteriormente, envolvendo-se na própria cruz, escolheu um hábito de penitência que apresentava a imagem da cruz. 
    6 De modo que, como sua mente vestira por dentro o Senhor crucificado, também seu corpo vestisse exteriormente as armas da cruz, e para que seu exército batalhasse pelo Senhor com o mesmo sinal com que Deus debelara os poderes aéreos. 
    7 Mas desde os primeiros tempos em que começou a militar pelo Crucificado, brilharam a respeito dele diversos mistérios da cruz, como fica cada vez mais claro para quem considera o decurso de sua vida. 
    8 Como, por sete aparições diferentes da cruz do Senhor foi todo transformado tanto no pensamento, como no afeto e na ação na imagem do Crucificado, por seu estático amor. 
    9 Pois a clemência do sumo Rei, dignamente, condescendendo acima de todo cálculo humano, imprimiu o estandarte de sua cruz no seu corpo para que o carregasse, para que aquele que tinha sido anteriormente distinguido por um admirável amor à cruz, também se tornasse maravilhoso pela honra admirável da cruz.