LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • São Boaventura
  • Legenda Maior

TEXTO ORIGINAL

Legenda Maior - Miraculis III,3

3 
1 Iuvenes quidam de burgo Celani pro metendis herbis exierant ad campestria quaedam, in quibus vetus latebat puteus, herbis in summo ore virentibus obumbratus, qui quasi per passus quatuor aquarum altitudinem continebat. 
2 Segregatim igitur per campum discurrentibus pueris, unus ex improviso decurrit in puteum. 
3 Absorbente autem profunda fovea corpus, spiritus mentis sursum recurrebat ad beati Francisci suffragium, clamans in ipso lapsu fideliter et fidenter: ”Sancte Francisce, adiuva me!”. 
4 Ceteri huc et illuc se vertentes (cfr. 3Re 18,45), dum puer alius non comparet (cfr. Gen 37,30), clamore, circuitu et lacrimis requirebant eumdem. 
5 Comperto tandem, quod in puteum cecidisset, festinanter cum gemitu redierunt ad burgum, indicantes eventum, exposcentes auxilium. 
6 Redeuntibus autem illis cum multa hominum turba, demissus unus per funem in puteum, puerum respexit in aquarum superficie residentem, nihil passum penitus laesionis. 
7 Extractus vero de puteo puer dixit omnibus qui adstabant: 
8 “Quando subito cecidi, beati Francisci patrocinium invocavi, qui corruenti mihi statim praesentialiter affuit, et manum porrigens, leniter apprehendit nec unquam deseruit, donec una vobiscum de puteo me eduxit”.

TEXTO TRADUZIDO

Legenda Maior - Milagres III,3

3 
1 Alguns jovens do burgo de Celano tinham saído para colher ervas em um campo, onde havia um velho poço escondido, que continha uns quatro passos de profundidade de água, mas estava com a boca coberta por plantas viçosas. 
2 Andando os rapazes separados pelo campo, de repente um deles caiu no poço. 
3 Com o corpo mergulhado no buraco profundo, o espírito recorreu ao auxílio do bem-aventurado Francisco, clamando durante todo o tempo com fidelidade e confiança: “São Francisco, ajuda-me!”. 
4 Os outros, andando para cá e para lá, como o outro rapaz não aparecia, começaram a dar voltas procurando-o, com gritos e lágrimas. 
5 Quando perceberam que tinha caído no poço, voltaram gemendo para o burgo, contaram o que tinha acontecido e pediram socorro. 
6 Quando voltaram com um grande grupo de homens, um deles desceu ao poço com um corda e viu que o rapaz estava parado na superfície, sem ter sofrido nenhuma lesão. 
7 Tirado para fora do poço, o moço disse a todos que estavam ao redor: 
8 “Quando caí de repente, invoquei o patrocínio de São Francisco, que logo se apresentou na hora em que eu estava caindo, estendeu-me a mão, pegou-me com cuidado e não me largou até que me tirou do poço junto convosco”.